Responsive image

Principais Medicamentos para Alzheimer

Neurologista - Dr. Willian Rezende do Carmo

Categorias: Conteúdos, Memória / Alzheimer

Publicado: 6 de fevereiro de 2024 | Atualizado: 6 de fevereiro de 2024

A doença de Alzheimer é uma condição neurodegenerativa que afeta predominantemente pessoas com mais de 65 anos, causando sintomas como perda de memória progressiva, dificuldade em realizar tarefas diárias e alterações comportamentais. Embora não haja cura, existem diversos medicamentos para Alzheimer disponíveis que visam retardar o avanço da doença e aliviar alguns dos sintomas associados.

Neste artigo, vamos explorar os principais medicamentos utilizados no tratamento do Alzheimer, destacando suas características, efeitos colaterais e as recentes pesquisas sobre novos medicamentos promissores.

Medicamentos para Alzheimer

Anticolinesterásicos: Donepezila, Rivastigmina e Galantamina

Os anticolinesterásicos são uma classe de medicamentos frequentemente prescritos para pacientes com Alzheimer. Entre eles, a donepezila, rivastigmina e galantamina se destacam. A donepezila atua como um inibidor da colinesterase, aumentando os níveis de acetilcolina no cérebro, neurotransmissor essencial para memória e movimento. Essa medicação é indicada para todos os estágios do Alzheimer.

Teste de auto-percepção de memória
Tire suas dúvidas em relação a sua memória e faça o teste PDQ-5 de auto percepção de memória.

A rivastigmina, também um inibidor da colinesterase, é utilizada nos casos leves e moderados, podendo ser administrada via oral ou em adesivos subcutâneos. Já a galantamina, é disponível em comprimidos de liberação prolongada, sendo indicada também para casos leves a moderados.

Apesar de eficazes na redução do declínio cognitivo, esses medicamentos podem causar efeitos colaterais como náuseas, vômitos e diarreia. A escolha entre eles dependerá da avaliação do médico, considerando as características específicas de cada paciente.

Memantina

A memantina é um medicamento que age como antagonista do receptor de NMDA, bloqueando a ativação excessiva desses receptores e prevenindo a perda de neurônios. Indicada para casos moderados e graves de Alzheimer, a memantina pode ser encontrada em diversas formas, como comprimidos, solução oral e cápsulas de liberação prolongada.

Eu, minha memória e meus medos...
Conheça a história de uma mãe e filha que enfrentam diversos problemas relacionados a memória. Baixe o e-book e aprenda com elas o que deve ser feito para lidar com o Alzheimer.

A memantina pode causar efeitos colaterais como dor de cabeça e confusão mental. Seu uso deve ser acompanhado por um neurologista ou psiquiatra.

Medicamentos para Controle Comportamental: Antipsicóticos, Ansiolíticos e Antidepressivos

O controle dos sintomas comportamentais associados ao Alzheimer muitas vezes demanda o uso de medicamentos específicos. Antipsicóticos como olanzapina, quetiapina e risperidona são prescritos para controlar alucinações, paranóia e agitação, mas seu uso deve ser cauteloso devido aos riscos de efeitos colaterais graves, como aumento do risco de quedas e declínio cognitivo.

Ansiolíticos como clorpromazina, alprazolam e zolpidem são utilizados para controlar a agitação e dificuldade para dormir. No entanto, seu uso deve ser limitado a curtos períodos, devido aos riscos de sonolência excessiva e confusão mental.

Anda muito esquecido ultimamente?
Não ignore os problemas de memória, eles podem ser mais sérios do que parecem. Agende uma consulta na Clínica Regenerati e evite um possível Alzheimer.

Antidepressivos, como sertralina, nortriptilina, mirtazapina e trazodona, podem ser indicados para tratar sintomas de depressão e ansiedade associados ao Alzheimer. A escolha do antidepressivo dependerá das necessidades específicas do paciente.

Medicamentos Experimentais e Perspectiva Futura

Recentes avanços na pesquisa de medicamentos para o Alzheimer trazem esperança para o desenvolvimento de tratamentos mais eficazes. Dois medicamentos experimentais, lecanemabe e “aducanumab”, mostraram resultados promissores. O lecanemabe, aprovado pela FDA, demonstrou redução de até 27% na deterioração cognitiva, juntamente com melhorias significativas na funcionalidade. No entanto, é fundamental aguardar mais estudos para avaliar seu impacto clínico real.

O aducanumab, apesar de também reduzir as placas beta-amiloides no cérebro, enfrentou controvérsias devido à menor melhora observada nos sintomas e efeitos colaterais graves. O alto custo do tratamento com aducanumab também levantou preocupações.

A busca por tratamentos mais eficazes e seguros para o Alzheimer enfrenta desafios significativos. Embora os medicamentos experimentais representem uma esperança, é essencial considerar a eficácia clínica real, especialmente para pacientes em estágios avançados da doença. Além disso, a necessidade de monitoramento constante de efeitos colaterais graves implica em custos e cuidados adicionais.

Prevenção e Estilo de Vida

O tratamento do Alzheimer envolve uma abordagem multifacetada, combinando medicamentos para redução do declínio cognitivo com medidas para controlar os sintomas comportamentais. Embora os medicamentos experimentais ofereçam promessas, é crucial aguardar mais pesquisas para determinar sua eficácia a longo prazo e avaliar seu impacto real na vida dos pacientes. Enquanto isso, a pesquisa continua buscando por soluções mais eficazes e acessíveis para enfrentar os desafios impostos pela doença de Alzheimer.

Embora não exista uma fórmula definitiva para prevenir o Alzheimer, adotar um estilo de vida saudável é recomendado. Além dos tratamentos farmacológicos, alternativas e cuidados complementares desempenham um papel crucial no tratamento do Alzheimer.

A fisioterapia, por exemplo, ajuda a manter a funcionalidade física, prevenindo quedas e melhorando a qualidade de vida. Praticar exercícios regulares e seguir uma dieta balanceada são medidas que contribuem para a saúde cerebral, não somente para pacientes com Alzheimer. Além disso, manter a mente ativa com jogos mentais, aprender novas habilidades, garante uma boa noite de sono.

Assista ao vídeo e saiba mais:

Se quiser receber conteúdo sobre Alzheimer no seu chat do Facebook, clique aqui.

Quer saber se alguém que você conhece tem demência? Clique aqui e faça nosso Teste GRATUITO para Rastreio da Demência e descubra.

Se quiser fazer nosso Teste Gratuito para identificar se alguém que você conhece está apresentando problemas de memória, atenção ou concentração, clique aqui.

Fonte: https://betterhealthwhileaging.net/medications-to-treat-difficult-alzheimers-behaviors/

Artigo Publicado em: 11 de dez de 2018 e Atualizado em: 06 de fev de 2024

Compartilhe:


Memória / Alzheimer

A Doença de Alzheimer é uma enfermidade incurável e progressiva. A maioria das vítimas são pessoas idosas. A doença apresenta sintomas como perda de funções executivas e cognitivas (como a memória), causada pela morte de células cerebrais. O objetivo do tratamento é aliviar os sintomas existentes, retardando a evolução da doença. Os tratamentos indicados são divididos em farmacológicos e os não-farmacológicos.

Compartilhar:


Agende sua Consulta!



Tags:, , , , , , ,


Todos os utilizadores da plataforma se comprometem a divulgar apenas informações verdadeiras. Caso o comentário não trate de uma experiência pessoal, forneça referências(links) sobre qualquer informação médica à ser publicada.
O público pode realizar comentários, alterar ou apagar o mesmo. Os comentários são visíveis a todos.


Neurologista- Doenças Neurológicas e Sistema Nervoso - Neurologia Hoje
Pergunte ao Doutor!

Tire suas dúvidas atráves do nosso fórum!



Willian Rezende do Carmo, 2021 | Desenvolvido e Monitorado por IT9 - ABCtudo. Todos os direitos reservados. | Data da última modificação: 23/02/2024