Neurologista - Dr. Willian Rezende

Perda de peso em pacientes com Parkinson pode indicar forma grave da doença


Um estudo conduzido por pesquisadores do Massachusetts General Hospital encontrou evidências de uma associação entre a perda de peso precoce em pacientes com a doença de Parkinson e uma progressão mais rápida da doença.

Embora a perda de peso seja comum em pacientes com Parkinson, os resultados do estudo sugerem que a perda de peso, no início do curso da doença, indica uma forma mais grave do distúrbio neurodegenerativo.

Segundo os autores, os pacientes que experimentam a perda de peso precoce parecem ter uma forma mais grave e sistêmica da doença, possivelmente devido ao envolvimento do sistema neuroendócrino ou do sistema nervoso gastrointestinal, enquanto que aqueles que ganharam peso podem ter uma forma mais branda da doença.

Embora estudos anteriores já tenham descoberto que um maior índice de massa corporal (IMC) está associado à melhora da sobrevida na doença de Huntington e da esclerose lateral amiotrófica (ELA), nenhum estudo havia examinado a relação do peso com a progressão da doença e a sobrevivência na doença de Parkinson.

Os autores resolveram se debruçar sobre a questão e recolheram dados de mais de 1.700 pacientes que tinham pelo menos cinco anos de diagnóstico.

“77% dos participantes (1.282) permaneceram com o IMC estável durante o período do estudo; 158 participantes (9%) apresentaram perda de peso e 233 (14%)  ganharam peso. Aqueles que perderam peso durante o período do estudo mostraram um aumento maior do agravamento dos sintomas do Parkinson, tanto em termos de sintomas motores, quanto de sintomas gerais”, afirma o neurologista, Willian Rezende do Carmo, CRM-SP 160.140.

Perda de peso em pacientes com Parkinson pode indicar forma grave da doença
5 100% 28
Compartilhe:

Deixe um Comentário