Neurologista - Dr. Willian Rezende

Tratamento da Apneia Central do Sono


Tratamento da Apneia Central do Sono

A Apneia Central do Sono (ACS) é um distúrbio onde existe uma interrupção da respiração repetidamente durante o sono. Ocorre devido à maneira como o cérebro funciona. Na Apneia Central do Sono o cérebro não envia sinais adequados aos músculos que controlam a respiração. Essa condição é diferente da apneia obstrutiva do sono (AOS) (na qual a obstrução das vias aéreas superiores impedem a pessoa de respirar normalmente).

Esse tipo de apneia do sono geralmente está associado a doenças graves, especialmente uma doença na qual o tronco cerebral inferior (que controla a respiração) é afetado. Em bebês, a apneia central do sono produz pausas na respiração que podem durar 20 segundos.

A doença geralmente não se manifesta através de sintomas, e só é detectada quando outras pessoas observam as pausas respiratórias do paciente durante seu sono. A ACS pode evoluir para danos mais graves à saúde.

Complicações da Apneia Central do Sono

Apneia do sono central é uma condição médica séria. Algumas complicações incluem:

  • Fadiga: Os repetidos despertares associados à apneia do sono tornam o sono normal e restaurador impossível. Pessoas com apneia central do sono muitas vezes experimentam fadiga severa, sonolência diurna e irritabilidade;
  • Dificuldade em se concentrar e encontrar-se adormecendo no trabalho, enquanto assiste à televisão ou mesmo ao dirigir;
  • Problemas cardiovasculares: quedas repentinas nos níveis de oxigênio no sangue que ocorrem durante a apneia central do sono podem afetar adversamente a saúde do coração.

Se houver doença cardíaca subjacente, esses repetidos múltiplos episódios de baixa oxigenação do sangue (hipóxia ou hipoxemia) pioram o prognóstico e aumentam o risco de ritmos cardíacos anormais.

Tratamento da Apneia Central do Sono

Apneia central do sono pode ocorrer como resultado de outras condições, como: insuficiência cardíaca; acidente vascular cerebral (AVC); dormir em altas altitudes; entre outros.

O tratamento da apneia central do sono pode envolver o uso de um dispositivo para auxiliar a respiração ou o uso de oxigênio suplementar, além do tratamento de outras condições associadas.

A ACS tem diversas formas de tratamento, uma delas é o tratamento da causa como é o caso da apneia por insuficiência cardíaca congestiva (na qual a bomba cardíaca está descompensada).

É possível utilizar medicamentos que estabilizam, estimulam e aumentam o drive respiratório da pessoa durante a noite.

 

Alguns dos tratamentos mais conservadores para a apneia obstrutiva do sono provavelmente iriam também beneficiar pessoas com apneia central do sono. Como por exemplo não utilizar medicamentos analgésicos e depressores do sistema respiratório.

Outro tratamento é a pressão positiva contínua nas vias aéreas (CPAP), especialmente com traquéias (tubos que levam o ar do aparelho) alongadas. A traquéia alongada aumenta a quantidade de CO² no ar circulante e isso melhora o estímulo da respiração. O CPAP é benéfico em pessoas com apneia central do sono. Isto é especialmente verdadeiro para pessoas que têm apneia do sono central associada à insuficiência cardíaca.

Uso do CPAP na Apneia Central do Sono

 

No CPAP os pacientes usam uma máscara sobre o nariz e / ou boca. Um soprador de ar força o ar através do nariz e / ou boca. A pressão do ar é ajustada para que seja suficiente para evitar que os tecidos das vias aéreas superiores colapsem durante o sono. A pressão é constante e contínua.

O CPAP adaptável percebe quando a pessoa está respirando e quando ela não está. No momento em que não está respirando ele estimula com mais força e quando a pessoa volta a respirar sozinha ele não produz força. Isso tudo pode estar associado ou não a traqueias alongadas que aumentam o CO² circulante.

Referências:

1 – Treatment of sleep central apnea with non-invasive mechanical ventilation with 2 levels of positive pressure (bilevel) in a patient with myotonic dystrophy type 1

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4521647/

 

Avalie essa notícia
Compartilhe:

Deixe um Comentário