Neurologista - Dr. Willian Rezende

Sono fortalece memórias imunológicas


Há um século, os cientistas demonstraram que o sono suporta a retenção de memórias de fatos e de eventos. Estudos posteriores mostraram que o sono profundo é importante para transformar memórias formadas recentemente em memórias estáveis, a longo prazo. Agora, um artigo, publicado no Neuroimmunology, propõe que o sono profundo também pode fortalecer memórias imunológicas de patógenos encontrados anteriormente. Ou seja, o sistema imunológico “lembra” de um encontro com uma bactéria ou vírus, recolhendo fragmentos desse encontro para criar células T de memória, que duram por meses ou anos e ajudam o organismo a reconhecer uma infecção anterior e responder rapidamente.

Estudos em humanos têm revelado que a longevidade das células T de memória está associada com o sono profundo de ondas lentas após a vacinação.

“Tomados em conjunto, os resultados suportam a visão de que o sono de ondas lentas contribui para a formação de memórias de longo prazo de resumo e de informação generalizada, o que leva a respostas comportamentais adaptativas e imunológicas. A implicação óbvia é que a privação do sono pode colocar nosso corpo em risco. Se não dormirmos, nosso sistema imunológico pode se concentrar nas partes erradas do patógeno”, afirma o neurologista, Willian Rezende do Carmo, CRM-SP 160.140.

Sono fortalece memórias imunológicas
5 100% 6
Compartilhe:

Deixe um Comentário