Neurologista - Dr. Willian Rezende do Carmo


Síndrome do Comer Noturno – Comer demais à noite prejudica o sono?

Categorias: Apneia do Sono, Conteúdos




Síndrome do Comer Noturno – Comer demais à noite prejudica o sono?

Publicado: 16/12/19 | Atualizado: dezembro 16, 2019

Síndrome do Comer Noturno – Comer demais à noite prejudica o sono? – A síndrome do Comer Noturno é uma condição caracterizada pelo ato de comer demais à noite com problemas de sono. Com essa síndrome, o paciente come muito no período noturno, podendo o levar a ter dificuldades para dormir, uma vez que pode-se levantar com frequência interna para comer quando acorda esporadicamente durante o sono.

Sintomas – Síndrome do Comer Noturno

O paciente com síndrome do Comer Noturno, come pelo menos um quarto de suas calorias diárias após o jantar. Esse fato é uma das complicações que causa incômodo nos pacientes que portam a patologia.

Caso você acorde para comer pelo menos duas vezes na semana, você pode ter síndrome do Comer Noturno. A probabilidade de postá-lo também existe se também tiver pelo menos três desses outros sintomas:

  • Falta de apetite pela manhã;
    • Forte desejo de comer no período entre o jantar e o sono;
  • Insônia ocorrente quatro ou cinco noites por semana;
    • Acreditar que se não comer será extremamente difícil dormir ou voltar a dormir;
  • Humor depressivo que piora durante a noite.

É importante saber que a síndrome do comer noturno é diferente do transtorno da compulsão alimentar periódica. Com esta última, é mais provável que o paciente coma muito em uma única vez, ou seja, num único despertar para comer. O portador de síndrome do Comer Noturno provavelmente levanta para comer mais vezes e come em pequenas quantidades.

Causas da Condição- Síndrome do Comer Noturno

Síndrome do Comer Noturno - Comer demais à noite prejudica o sono?

Neste momento, ainda não há certezas. Mas existem indicações que relacionam a causa a problemas com o ciclo de sono-vigília e alterações hormonais. Mudanças no seu horário de sono e rotinas não são exclusivamente responsáveis pela patologia.

As chances de uma pessoa desenvolver a síndrome do Comer Noturno aumentam se este for obeso ou tiver outro distúrbio alimentar. Histórico de depressão, ansiedade e abuso de substâncias são outros fatores que se encaixar nos de risco a aumentar as chances de desenvolver a síndrome.

A condição afeta pouco mais de 1 em 100 pessoas. Quando se é obeso, a probabilidade aumenta para 1 em 10 chances de adquiri-lo.

Razões Genéticas

Pesquisadores descobriram uma possível ligação entre a condição e genética. Existe um gene chamado PER1, que pode ajudar a controlar o relógio do corpo. Os cientistas acreditam que um defeito ou alteração nesse gene pode causar a Síndrome do Comer Noturno.

Diagnóstico

O diagnóstico da a síndrome ocorre a inicialmente com um relatório de perguntas sobre sono e hábitos alimentares. Isso pode incluir um questionário detalhado. Um teste de sono chamado polissonografia pode estar incluso no processo de diagnóstico também. Esse exame tem por função checar:

  • Ondas cerebrais;
    • Níveis de oxigênio no sangue;
  • Coração e respiração.

Para ser de fato diagnosticado com Síndrome do Comer Noturno, a pessoa precisa estar vivendo os sintomas da patologia por pelo menos 3 meses. Os padrões de alimentação e sono também não podem ser causados ​​por abuso de substâncias, distúrbios médicos, medicamentos ou outro problema psiquiátrico.

Efeitos na Saúde

A patologia está ligado à obesidade, mas não está claro se a obesidade é a causa ou o efeito da doença. No entanto, sabemos de uma coisa com certeza: o distúrbio dificulta a perda de peso.

Nem todos os estudos demonstraram que o paciente comerá mais na presença da condição, e nem todos com síndrome do comer noturno são obesos. Os problemas do sono que acompanham também podem contribuir para o ganho de peso. Se o paciente dorme mal, é mais provável que esteja acima do peso.

Tratamentos

Antidepressivos e terapia cognitivo-comportamental auxiliam no tratamento, embora poucos estudos tenham sido realizados sobre a patologia. O treinamento de relaxamento também tem mostrado resultados positivos para ajudar a mudar o apetite que surge a noite para a manhã. Além disso vários estudos de antidepressivos mostraram melhora com a ingestão noturna, humor e qualidade de vida.

Lembre-se sempre de conversar seu médico de confiança caso suspeite ser um portador da condição.

Assista o vídeo e saiba mais sobre a Síndrome do Comer Noturno abaixo:

 

Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  


Apneia do Sono

A apneia do sono é uma condição caracterizada por pausas na respiração que duram alguns segundos, e que ocorrem diversas vezes durante o sono. Essa doença classifica-se como Apneia Obstrutiva do Sono ou Apneia Central do Sono. Suas causas e tratamentos podem variar, e o ronco é um importante sintoma. O diagnóstico é feito pela avaliação dos sintomas e do exame de Polissonografia.

Compartilhar:


Agende sua Consulta!



Tags:


Todos os utilizadores da plataforma se comprometem a divulgar apenas informações verdadeiras. Caso o comentário não trate de uma experiência pessoal, forneça referências(links) sobre qualquer informação médica à ser publicada.
O público pode realizar comentários, alterar ou apagar o mesmo. Os comentários são visíveis a todos.


Neurologista- Doenças Neurológicas e Sistema Nervoso - Neurologia Hoje
Pergunte ao Doutor!

Tire suas dúvidas atráves do nosso fórum!



Willian Rezende do Carmo, 2019 | Desenvolvido e Monitorado por IT9 - ABCtudo. Todos os direitos reservados. | Data da última modificação: 23/03/2020