Responsive image

Café e o Cérebro – Tudo Sobre o Café e o Cérebro

Neurologista - Dr. Willian Rezende do Carmo

Categorias: Conteúdos, Neurologia Geral

Publicado: 31 de outubro de 2023

Café e o Cérebro. O café é uma das bebidas mais consumidas em todo o mundo. Seu aroma e sabor únicos fazem parte da rotina diária de muitas pessoas, e a cafeína que ele contém é frequentemente usada como um estimulante para aumentar o estado de alerta e a concentração. Mas além do sabor e do estímulo matinal, o café tem sido objeto de inúmeras pesquisas que exploram suas interações com o cérebro.

Vamos analisar mais de perto o que a ciência tem a dizer sobre a relação entre o café e o cérebro.

História do Café

O café tem uma longa história que remonta ao século IX, quando, segundo relatos, foi descoberto na Etiópia. O mito popular diz que Kaldi, um pastor etíope, notou que suas cabras ficavam mais ativas e alegres depois de consumirem os frutos do café. A notícia desta descoberta chegou a um monge local, que começou a preparar uma infusão com grãos de café, semelhante ao chá. Eventualmente, os grãos de café foram torrados, liberando o aroma característico, e a bebida se espalhou pela Arábia Saudita e, posteriormente, pelo mundo todo.

Café e Doenças Neurológicas

Um mito comum é que o consumo de café ao longo da vida pode levar ao desenvolvimento de doenças neurológicas. No entanto, em 2021, um estudo realizado no Reino Unido acompanhou 365 mil pessoas por cerca de 11 anos, investigando a relação entre o consumo de café e chá e o surgimento de AVC e demência.

Os resultados surpreenderam, mostrando que o consumo moderado de café (2 a 3 xícaras por dia) estava associado a um risco 32% menor de AVC. Essa descoberta destacou os benefícios potenciais do café na prevenção de AVC.

Café e Problemas no Sono (Insônia)

A relação entre café e sono é um tema a ser debatido. Muitas pessoas acreditam que o café afeta negativamente o sono, mas o consenso científico é mais complexo. Estudos indicam que a cafeína pode prejudicar o início do sono, reduzir a duração do sono e piorar a qualidade percebida do sono.

No entanto, a resposta ao café varia de pessoa para pessoa, dependendo da sensibilidade individual à cafeína. Para aqueles que já sofrem de insônia, o consumo excessivo de café pode agravar o problema, criando um ciclo vicioso. Portanto, a moderação no consumo de café é a chave para evitar impactos negativos no sono.

Café e Doença de Parkinson

A relação entre o café e a doença de Parkinson é intrigante. A cafeína tem a capacidade de proteger o cérebro e combater a perda de neurônios dopaminérgicos, o que é importante na doença de Parkinson. Vários estudos mostraram que o consumo de café está associado a um menor risco de desenvolver a doença.

No entanto, a quantidade de café consumida desempenha um papel importante, com doses moderadas (cerca de 2 a 3 xícaras por dia) demonstrando serem protetoras, enquanto o consumo excessivo pode aumentar o risco. As evidências sugerem que o café tem um papel benéfico na prevenção e no curso da doença de Parkinson.

Café e Depressão

O café também foi investigado em relação à depressão. Estudos indicaram que o consumo moderado e regular de cafeína pode reduzir o risco de desenvolver depressão. Tomar cerca de 3 xícaras de café por dia foi associado a um risco 16% menor de depressão. No entanto, doses muito altas de cafeína podem aumentar o risco de depressão, sugerindo um efeito em forma de U. A cafeína parece ter a capacidade de melhorar o humor, mas o equilíbrio é fundamental para evitar efeitos adversos.

Café e Ansiedade

A relação entre café e ansiedade é complexa. Enquanto doses baixas de cafeína geralmente não causam ansiedade, doses elevadas podem aumentar a frequência cardíaca e a agitação, levando a sintomas ansiosos em algumas pessoas. Entretanto, aqueles que consomem cafeína regularmente tendem a desenvolver uma tolerância aos efeitos da ansiedade. Para pessoas com transtorno de pânico, o consumo de cafeína em doses muito altas pode aumentar a sensibilidade aos ataques de pânico. Portanto, o consumo de café deve ser moderado, especialmente em indivíduos suscetíveis à ansiedade.

O Café e o Cérebro na Saúde

O café tem uma relação complexa com o cérebro e a saúde mental. Seu consumo moderado está associado a vários benefícios, incluindo a redução do risco de AVC, demência e doença de Parkinson, bem como a melhoria do humor e da concentração.

O consumo excessivo de café pode ter efeitos negativos, como distúrbios do sono, ansiedade e aumento do risco de depressão. É importante lembrar que a sensibilidade à cafeína varia de pessoa para pessoa, e a moderação é fundamental para colher os benefícios do café. Consultar um profissional de saúde especializado é aconselhável, para saber dos riscos e benefícios do café para seu cérebro.

Mais informações sobre este assunto na Internet:
Compartilhe:


Agende sua Consulta!



Tags:, , , , ,


Todos os utilizadores da plataforma se comprometem a divulgar apenas informações verdadeiras. Caso o comentário não trate de uma experiência pessoal, forneça referências(links) sobre qualquer informação médica à ser publicada.
O público pode realizar comentários, alterar ou apagar o mesmo. Os comentários são visíveis a todos.



Willian Rezende do Carmo, 2024 | Desenvolvido e Monitorado por IT9 - ABCtudo. Todos os direitos reservados. | Data da última modificação: 07/07/2024