Responsive image

Tango Beneficia Pacientes com Parkinson

Neurologista - Dr. Willian Rezende do Carmo

Categorias: Conteúdos, Doença de Parkinson

Publicado: 27 de abril de 2021 | Atualizado: 22 de julho de 2021

Tango Beneficia Pacientes com Parkinson. A Doença de Parkinson (DP) é um distúrbio do movimento neurodegenerativo progressivo que geralmente é acompanhado por equilíbrio e caminhada prejudicados, e qualidade de vida reduzida.

Estudos indicam que a dança pode ser uma alternativa eficaz aos exercícios tradicionais para abordar essas áreas de preocupação para os indivíduos com DP.

Neste artigo, conheça os benefícios da dança para os pacientes com Parkinson, especialmente, os do Tango.

Check list de sintomas de doença de Parkinson
Um questionário com lista de sintomas que podem estar associados ao Parkinson

Dança como Terapia para o Parkinson

A dança pode abordar cada uma das áreas-chaves identificadas como importantes para um programa de exercícios projetado para indivíduos com DP.

Em primeiro lugar, a dança é uma atividade executada com música. A música pode servir como uma dica externa para facilitar o movimento, abordando assim o primeiro componente recomendado que é o uso de dicas externas.

A dança também envolve o ensino de estratégias de movimento específicas, que é o segundo componente recomendado de um programa de exercícios específico para DP.

Dicas do cotidiano e para a casa do Parkinsoniano
Esse livro trás importantes orientações sobre como é possível melhorar o ambiente do paciente Parkinsoniano para que ele tenha um dia-a-dia mais fácil e agradável.

Tango Beneficia Pacientes com Parkinson

Por exemplo, no tango argentino, os participantes podem aprender uma estratégia muito específica para andar para trás. Eles são ensinados a manterem o tronco sobre o pé de apoio enquanto estendem o outro pé para trás, mantendo o dedo do pé de trás em contato com o chão enquanto ele desliza para trás. E transferindo o peso para trás, sobre o pé de trás, somente depois de estar firmemente plantado.

A dança também aborda o terceiro componente recomendado: exercícios de equilíbrio. Durante a dança, especialmente com um parceiro, deve-se controlar o equilíbrio dinamicamente e responder às perturbações dentro do ambiente (por exemplo, ser esbarrado por outro casal).

Na verdade, sabe-se que as pessoas que dançaram habitualmente ao longo da vida têm melhor equilíbrio e marcha menos variável do que as não dançarinas. Além disso, o treinamento de equilíbrio baseado na dança tem se mostrado bem-sucedido em melhorar o equilíbrio em idosos.

Doença de Parkinson é muito mais que tremores
O Parkinson se não for tratado, pode até invalidar o usuário! Não arruine sua vida por causa de uma doença, venha na Regenerati!

A dança também pode aumentar a força e/ou a flexibilidade, embora estes possam não ser focos específicos da instrução durante uma aula de dança.

Finalmente, a dança pode resultar em um melhor funcionamento cardiovascular, uma prova de que, se praticada com intensidade suficiente, é uma excelente forma de exercício aeróbio.

Além de abordar cada um dos componentes principais, a dança é uma atividade agradável e socialmente envolvente. Na verdade, quando realizada em um ambiente social, pode aumentar a motivação.

Por essas razões, a dança pode ser uma excelente forma de exercício para quem tem DP.

Comprovação Científica

Um estudo da McGill University analisou as mudanças nas habilidades motoras dos pacientes que fizeram um curso de tango de 12 semanas.

Este foi o primeiro estudo a avaliar o efeito que o tango tem sobre os sintomas não-motores da doença. O estudo analisou se uma atividade social e física ligada à música, como o tango, poderia ter possível valor terapêutico para pacientes com a Doença de Parkinson, que caracteristicamente sofrem de disfunções motoras, como:

  • Tremor;
  • Rigidez;
  • Disfunção da marcha.

Assim como de sintomas não-motores, tais como:

Quarenta homens e mulheres com Parkinson participaram do estudo, que envolveu aulas de estúdio com dois professores de dança profissional.

Os pesquisadores concluíram que o tango é útil para melhorar significativamente o equilíbrio e a mobilidade funcional. Eles também encontraram benefícios modestos em termos de funções cognitivas dos pacientes e na redução da fadiga. Não houve mudanças motoras significativas.

“Mais do que o tango, especificamente, é preciso destacar que o treino e o constante desafio do cérebro com novos exercícios físicos são os melhores aspectos dessa pesquisa, sejam estes novos passos de dança, novos movimentos de luta, aumento de carga na academia, etc”, afirma o neurologista Willian Rezende do Carmo, CRM-SP 160.140.

Mais Informações sobre “Tango Beneficia Pacientes com Parkinson” na Internet:

Artigo Publicado em: 27 de mar de 2016 e Atualizado em: 27 de abril de 2021

Compartilhe:


Doença de Parkinson

A doença de Parkinson é uma condição neurológica crônica e progressiva, resultante da degeneração das células responsáveis pela produção de dopamina, um neurotransmissor que controla os movimentos, entre outras funções. Seus sintomas costumam afetar o movimento, e o diagnóstico é feito com base no histórico do paciente, avaliação dos sintomas e alguns exames. O tratamento deve ser individualizado, e comumente exige uma abordagem interdisciplinar.

Compartilhar:


Agende sua Consulta!



Tags:, , , ,


Todos os utilizadores da plataforma se comprometem a divulgar apenas informações verdadeiras. Caso o comentário não trate de uma experiência pessoal, forneça referências(links) sobre qualquer informação médica à ser publicada.
O público pode realizar comentários, alterar ou apagar o mesmo. Os comentários são visíveis a todos.


Neurologista- Doenças Neurológicas e Sistema Nervoso - Neurologia Hoje
Pergunte ao Doutor!

Tire suas dúvidas atráves do nosso fórum!



Willian Rezende do Carmo, 2024 | Desenvolvido e Monitorado por IT9 - ABCtudo. Todos os direitos reservados. | Data da última modificação: 07/06/2024