Neurologista - Dr. Willian Rezende

Dieta mediterrânea e maior volume cerebral


Pesquisas mostram associação entre dieta mediterrânea e maior volume cerebral com o envelhecimento.

Pesquisas mostram associação entre dieta mediterrânea e maior volume cerebral com o envelhecimento.

Os resultados foram publicados on-line em 04 de janeiro na conceituada revista Neurology.

Como foi feito o estudo sobre Dieta mediterrânea e maior volume cerebral:

Num grupo com mais de 400 escoceses por volta dos 70 anos, foram acompanhados por 6 anos.

Eles foram divididos em grupos de baixa adesão a dieta mediterrânea e alta adesão a dieta mediterrânea.

Foram feitos testes psicológicos e Ressonâncias Magnéticas Estruturais no início do acompanhamento, com 3 anos e com 6 anos.

As pessoas foram separadas em grupos pelo questionário  Scottish Collaborative Group Food Frequency Questionnaire (FFQ), que classificava as pessoas de 0-4 como baixa adesão a dieta e de 5-9 como alta adesão a dieta.

O que foi encontrado após os 6 anos foi que os cérebros de quem tinha uma boa adesão a dieta tinham voluma significativamente maior em relação a quem não tinha adesão a dieta.

A associação com dieta mediterrânea e maior volume cerebral foi tão expressivo, que mesmo quando foram feitos ajustes por idade e sexo (P = 0,02), assim como para outros fatores, como índice de massa corporal, diabetes, função cognitiva e escolaridade (P = 0,04), ainda sim a correlação era positiva.

Discussão

A dieta mediterrânea consiste em grande quantidade de hortaliças, frutas, cereais, azeite de oliva e legumes, uma quantidade moderada de peixe e baixa ingestão de carne vermelha.

Como nenhum participante do estudo teve diagnóstico de Alzheimer ou demência, não é possível afirmar que a dieta tenha efeito protetor para estas doenças.

Mas como já foi demonstrado associação positiva com dieta mediterrânea e maior volume cerebral, dieta mediterrânea e melhora da função cognitiva e dieta mediterrânea e menor número de AVC, é plausível pensar que a dieta mediterrânea esteja relacionada com menor incidência de demência e Alzheimer.

Interessantemente, o maior consumo de peixes ou o menor consumo de carne vermelha não respondem sozinhos pelos resultados, sugerindo que toda a gama de outros alimentos e falta de alimentos processados e tudo em conjunto que seja realmente efetivo.

Um possível viés do estudo é o fato de as pessoas que praticam uma dieta saudável também tem maior tendência a se exercitar, não fumar, evitar a obesidade e tem outros elementos de boa saúde em geral. E não há como controlar isso totalmente nestes tipos de análise.

“Cada vez mais temos evidencias de que alimentos não processados, menor quantidade de carboidratos, maior ingesta de óleos poli-insaturados, são benéficos para saúde como um todo e principalmente para o cérebro.”

“É até fácil pensar que a dieta mediterrânea e maior volume cerebral tem associação, pois com ela estamos fornecendo maior quantidade de matéria prima para neurônios do cérebro. ” Comenta Dr. Willian Rezende do Carmo Neurologista CRM 160140

Dieta mediterrânea e maior volume cerebral
5 100% 21
Compartilhe:

Deixe um Comentário