Responsive image

A Dor na Doença de Parkinson

Neurologista - Dr. Willian Rezende do Carmo

Categorias: Conteúdos, Doença de Parkinson, Dor, Dor Miofascial, Dor Neuropática

Publicado: 21 de setembro de 2021 | Atualizado: 21 de setembro de 2021

Dor na Doença de Parkinson. A dor é um sintoma não motor frequentemente esquecido da Doença de Parkinson (DP). Estudos mostram que entre 40% – 80% das pessoas com DP relatam dor.

A dor crônica é um sintoma comum entre a população em geral. No entanto, existem aspectos da DP que podem exacerbar a dor experimentada por um problema comum. Além disso, existem tipos específicos de dor que podem ser exclusivos das pessoas com DP.

Neste artigo, saiba mais sobre a dor na Doença de Parkinson, suas causas e formas de tratamento.

Check list de sintomas de doença de Parkinson
Um questionário com lista de sintomas que podem estar associados ao Parkinson

Tipos de Dor na Doença de Parkinson

A dor pode ser um sintoma inicial da DP. Por exemplo, uma pessoa pode reclamar de um ombro dolorido e ser diagnosticada com uma condição ortopédica. Algum tempo depois, ela pode desenvolver um tremor de repouso nesse lado do corpo. O ombro dolorido, na verdade, era uma dor devido à rigidez da DP.

É claro que nem toda dor é um sinal de DP, mas é importante que você se eduque, esteja ciente das possíveis conexões e seja proativo ao procurar atendimento médico para qualquer dor notável que estiver sentindo. Veja a seguir os diferentes tipos de dor que podem estar relacionados com a Doença de Parkinson:

Dor Musculoesquelética

Esta categoria inclui causas comuns de dor na população em geral, como dores artríticas e musculares. Embora essas dores não sejam devidas ao Parkinson em si, podem ser agravadas pela doença. Por exemplo, a rigidez dos músculos, que é um sintoma motor importante da DP, pode piorar as dores musculares.

Dicas do cotidiano e para a casa do Parkinsoniano
Esse livro trás importantes orientações sobre como é possível melhorar o ambiente do paciente Parkinsoniano para que ele tenha um dia-a-dia mais fácil e agradável.

Dor Distônica

Distonia, ou postura anormal, pode acompanhar a DP e ser muito dolorosa. A distonia pode aparecer quando há uma diminuição nos níveis de dopamina no cérebro, o que pode ocorrer logo pela manhã, antes de tomar a medicação ou quando uma dose da medicação está passando (o que chamamos de tempo OFF).

Se esse for o padrão observado, várias estratégias podem ser implementadas para diminuir o tempo OFF. Como alternativa, a distonia também pode ser um efeito colateral do tratamento com levodopa.

Dor Radicular

A dor radicular é geralmente uma dor aguda ou uma sensação elétrica que se propaga ao longo do trajeto de um nervo. Isso pode ser devido a condições comuns, como hérnia de disco ou artrite na parte inferior da coluna ou do pescoço.

Doença de Parkinson é muito mais que tremores
O Parkinson se não for tratado, pode até invalidar o usuário! Não arruine sua vida por causa de uma doença, venha na Regenerati!

Esses tipos de condições podem ser dolorosos em pessoas sem DP, mas em alguém com DP, que anda curvando os ombros ou a cintura, a dor pode ser pior.

Dor Central

A dor central é uma síndrome dolorosa causada por dano ou disfunção do cérebro ou da medula espinhal. Uma ampla gama de condições (além da DP) pode ser responsável por esse tipo de dor, incluindo acidente vascular cerebral e esclerose múltipla.

Os sintomas podem variar muito entre as pessoas e incluir sensações como queimação, dor ou pontadas. A dor pode envolver um membro, o abdômen ou os genitais e é geralmente descrita como de origem profunda. Muitas vezes, é agravada por um leve toque ou temperatura fria.

Como não se sabe ao certo qual é a origem da dor, as pessoas com esse tipo de dor costumam ser submetidas a um grande número de exames médicos para excluir outras causas de dor apenas para finalmente saberem que a dor é central. Infelizmente, esse é o tipo de dor mais difícil de tratar.

Às vezes, pode ser útil manter um diário da dor, que pode dar uma ideia de quando a dor ocorre e o que a torna pior ou a faz melhorar. Esse tipo de informação pode ser útil para seu médico ao tentar diagnosticar e tratar sua dor.

Tratamento

  • Fisioterapia – Os exercícios que fortalecem o núcleo e estimulam a postura ereta podem ser muito benéficos para certas dores da DP. Trabalhar com um fisioterapeuta é essencial se o objetivo é tratar a dor, pois ele pode traçar exercícios específicos para reduzir e não agravar a dor;
  • Medicamentos – Os AINEs (antiinflamatórios não esteroidais), que incluem medicamentos como ibuprofeno e naproxeno, bem como paracetamol, podem ser muito benéficos para a dor na DP, assim como são para a população em geral. Entretanto, eles podem ter efeitos colaterais. Portanto, discuta com seu médico a possibilidade de utilizar essa forma de tratamento;
  • Procedimentos – Existem vários procedimentos que podem ajudar no tratamento da dor. Por exemplo, as injeções epidurais costumam ser realizadas para a dor lombar. Você pode perguntar ao seu neurologista se há algum procedimento que possa ser considerado para ajudar na sua dor em particular.

Dicas e Sugestões

Se você tem DP e desenvolve dor, é importante primeiro levar isso ao conhecimento do seu médico. A dor pode estar relacionada ao Parkinson ou ser devido a um problema comum, como artrite, que é exacerbada pelo Parkinson.

No entanto, em alguns casos, pode ser um sintoma de um problema médico mais sério. Antes de presumir que uma nova dor está relacionada à DP, você pode precisar de uma investigação médica de possíveis outras causas.

Existem opções para tratar sua dor, portanto, discuta sua dor com seu neurologista.

Mais Informações sobre este assunto na Internet:

Artigo Publicado em: 19 de jan de 2018 e Atualizado em: 21 de setembro de 2021

Compartilhe:


Doença de Parkinson

A doença de Parkinson é uma condição neurológica crônica e progressiva, resultante da degeneração das células responsáveis pela produção de dopamina, um neurotransmissor que controla os movimentos, entre outras funções. Seus sintomas costumam afetar o movimento, e o diagnóstico é feito com base no histórico do paciente, avaliação dos sintomas e alguns exames. O tratamento deve ser individualizado, e comumente exige uma abordagem interdisciplinar.

Compartilhar:


Agende sua Consulta!



Tags:, , , , , ,


Todos os utilizadores da plataforma se comprometem a divulgar apenas informações verdadeiras. Caso o comentário não trate de uma experiência pessoal, forneça referências(links) sobre qualquer informação médica à ser publicada.
O público pode realizar comentários, alterar ou apagar o mesmo. Os comentários são visíveis a todos.


Neurologista- Doenças Neurológicas e Sistema Nervoso - Neurologia Hoje
Pergunte ao Doutor!

Tire suas dúvidas atráves do nosso fórum!



Willian Rezende do Carmo, 2021 | Desenvolvido e Monitorado por IT9 - ABCtudo. Todos os direitos reservados. | Data da última modificação: 05/04/2024