Neurologista - Dr. Willian Rezende

A Dor na Doença de Parkinson


A doença de Parkinson se manifesta em uma grande diversidade de sintomas que, em cada parkinsoniano, surgem com uma intensidade diferente, como sintomas até mesmo incapacitantes, que comprometem as atividades do dia-a-dia.

O sintoma de dor na doença de Parkinson tem sido relatado desde as primeiras descrições da doença, em aproximadamente 40% a 83% dos pacientes, podendo preceder ou acompanhar os sintomas motores e ainda contribuir para o desenvolvimento ou agravamento de sintomas depressivos nestes pacientes.

A Dor na Doença de Parkinson

Este sintoma pode ser categorizado em vários subtipos diferentes, incluindo dor musculoesquelética, distônica, neuropática radicular e dor central, englobando também dormência, formigamento, queimação, frio e calor.

Considerada um sintoma pré-motor, a dor é proeminente no lado do corpo mais afetado pela doença, aumenta ainda mais com a progressão da doença, estando particularmente associada ao desenvolvimento de flutuações motoras dependentes da terapia.

Possíveis Explicações para a Dor na Doença de Parkinson

Os gânglios basais e as estruturas conectadas a eles desempenham um papel fundamental na origem do sintoma. Várias redes disfuncionais motoras, cognitivas e límbicas têm conexões entre os gânglios basais e as regiões corticais, que potencialmente desempenham um papel importante no processamento da dor.

A dor musculoesquelética também pode estar relacionada a outras causas. A rigidez ou a postura anormal podem afetar músculos e articulações, favorecendo distúrbios musculoesqueléticos, como osteoartrose. Esta condição também pode estar associada à dor neuropática periférica, especialmente a dor radicular.

Os pacientes em um estágio inicial da doença tendem ainda a apresentar respostas aumentadas aos estímulos nociceptivos, normalmente revertidas pelo tratamento dopaminérgico, mostrando um papel importante de depleção de dopamina na origem da dor.

O Diagnóstico da Dor na Doença de Parkinson

Muitas vezes, estes sintomas são inadequadamente tratados, principalmente por serem confundidos com outras condições dolorosas musculares.

A avaliação da dor em pacientes com Parkinson pode estar sujeita a flutuações relacionadas à evolução da doença, que podem influenciar a percepção de sintomas de dor. Assim, a caracterização da dor na doença de Parkinson deve levar em conta o estado motor, o tratamento e suas complicações.

Assim, considerando a alta prevalência de dor crônica entre a população em geral, o momento da ocorrência e o estado motor e não motor do paciente, assim como a presença de síndromes de dor, como dor neuropática e síndrome de dor miofascial, fornecem evidências de associação com a doença de Parkinson.

O Tratamento da Dor na Doença de Parkinson

Para a dor associada às flutuações dos sintomas motores, o tratamento deve consistir em um manejo adequado dessas flutuações. Geralmente, as formulações de longa duração de levodopa podem ser administradas.

Além dos tratamentos farmacológicos, a cirurgia de estimulação cerebral profunda (DBS) pode ser proposta em pacientes com a doença avançada, com sintomas não controlados por farmacoterapia por via oral.

Foi demonstrado que a DBS também poderia produzir uma redução da intensidade da dor em mais de 80% dos pacientes, em até 24 meses pós-cirurgia, variando de acordo ao tipo de síndrome da dor.

Para os sintomas de dor que não estão associados às flutuações motoras ou persistem após ajustes dopaminérgicos, a abordagem terapêutica deve basear-se sobre o mecanismo subjacente.

Em relação à dor musculoesquelética, vários programas de reabilitação (fisioterapia) podem ser relevantes para melhorar a função dos músculos que desempenham o papel principal no ajuste postural durante a marcha e são os mais afetados.

Em caso de dor neuropática, os princípios de tratamento devem ser os mesmos que para outras condições de dor neuropática. As estratégias terapêuticas também podem ser baseadas no reforço dos controles inibitórios da dor.

A Dor na Doença de Parkinson
5 99.98% 11795
Compartilhe:

Deixe um Comentário