Neurologista - Dr. Willian Rezende

Enxaqueca Crônica – Toxina Botulínica para Tratamento


Aplicação de toxina botulínica para tratamento da enxaqueca crônica

A enxaqueca crônica é um tipo de cefaleia, caracterizada por dor de cabeça com sintomas associados, como náuseas e vômitos, em mais de 15 dias por mês tenha alguma dor e que pelo menos 8 dias sejam com características de enxaqueca. O paciente também pode apresentar uma sensibilização central a dor crônica, que se manifesta como uma constante sensibilidade a sons, luminosidade, movimentação da cabeça e maior facilidade para sentir dores como um todo.

As crises de enxaqueca causam um impacto negativo na qualidade de vida, aumentando o risco de depressão, ansiedade, distúrbios do sono, transtornos respiratórios e obesidade.

Atualmente, a toxina botulínica é uma substância aprovada pela ANVISA para o tratamento profilático da enxaqueca crônica. Neste artigo, vamos conhecer como este tratamento é realizado.

Mecanismo de ação da toxina botulínica

Produzidas pela bactéria Clostridium botulinum, as neurotoxinas botulínicas são as toxinas mais potentes conhecidas até o momento, combinando mecanismos de ação extremamente específicos com uma alta toxicidade. Entretanto, diversas utilidades médicas estão sendo descobertas para estas substâncias que, há alguns anos, eram caracterizadas apenas pela sua periculosidade.

A toxina botulínica, como é conhecida popularmente, atua nos terminais nervosos da junção neuromuscular, inibindo os moduladores que ativam a contração do músculo. Dessa forma, é de grande utilidade para o tratamento de distúrbios em que ocorra excesso de contração muscular.

O mecanismo de ação da toxina botulínica nas dores de cabeça crônicas foi descoberto de forma inusitada. Como esta substância tem sido utilizada com grande frequência em clínicas de estética para diminuição de rugas na testa, algumas pacientes em tratamento estético constataram uma melhora considerável nas dores de cabeça que apresentavam.

A partir desse momento, diversos estudos começaram a analisar a capacidade da toxina botulínica como um preventivo de dores de enxaqueca crônica.

Aplicação e efeitos

A toxina botulínica é administrada por meio de injeção em aproximadamente 31 pontos na cabeça, pescoço e ombros, para enfraquecer seletivamente a musculatura dolorosa e aliviar a sensação de pressão, causada pela tensão muscular e também pela inibição da sensibilização central. Assim, é possível interromper o ciclo de dor com segurança, pois a substância é bem tolerada, diminuindo a contratura e a sensibilização.

Seu efeito tem início entre 24 a 72 horas da aplicação, com início da melhora clínica entre 7 a 10 dias. A duração do efeito é variável entre 2 a 6 meses, e de acordo com o efeito da aplicação, é recomendado um intervalo mínimo de 3 a 4 meses entre as aplicações.

Como resultado, observamos a redução do número de dias que o paciente apresenta dor, da intensidade e do número de horas em cada crise. Com isso, é possível diminuir o consumo das medicações utilizadas durante as crises.

Os possíveis efeitos colaterais da aplicação de toxina botulínica estão relacionados, principalmente, à realização da infiltração. Os mais frequentes são dor, edema ou pequenos hematomas, que podem ser facilmente resolvidos com o uso de antitérmicos, analgésicos e cuidados locais, como aplicação de gelo, desaparecendo em alguns dias.

Contribuição da toxina botulínica para a reabilitação do paciente

O alívio da enxaqueca crônica possibilita ao paciente iniciar um programa de reabilitação focada para dor crânio facial. Assim que a dor torna-se tolerável, e as crises passam a ser menos frequentes e com menor intensidade, iniciar a realização de exercícios de alongamento e fortalecimento muscular, além de terapias manuais de dessensibilização segmentar colabora para a reeducação neuromuscular, a redução da contratura muscular e a melhora da dor de forma duradoura. E para essa função o fisioterapeuta e o fonoaudiólogo tem papeis fundamentais.

É importante considerar que a aplicação de toxina botulínica é uma das etapas do programa de reabilitação do paciente, mas não a única. A associação entre a toxina botulínica, as terapias corporais e a modificação dos fatores desencadeantes é de fundamental importância para o sucesso do plano terapêutico da enxaqueca crônica.

Enxaqueca Crônica – Toxina Botulínica para Tratamento
5 99.99% 12047
Compartilhe:

Deixe um Comentário