Responsive image

Problemas de Pele e Parkinson

Neurologista - Dr. Willian Rezende do Carmo

Categorias: Conteúdos, Doença de Parkinson

Publicado: 29 de março de 2019 | Atualizado: 29 de março de 2019

A doença de Parkinson (DP) é uma condição considerada comum, caracterizada por sintomas como tremores, rigidez, entre outros. Além disso, os sinais não motores da condição são bem reconhecidos e frequentemente aparecem antes dos sintomas motores.

Manifestações cutâneas têm sido tópico de pesquisas e discussões na área medicinal há algum tempo. Evidências cumulativas mostram um aumento da prevalência de certos distúrbios dermatológicos nos pacientes com a doença de Parkinson.

Relação Entre Problemas de Pele e Parkinson

A dermatite seborreica ocorre como uma característica pré-motora da doença de Parkinson, ela está relacionada à desregulação do sistema nervoso autônomo.

Check list de sintomas de doença de Parkinson
Um questionário com lista de sintomas que podem estar associados ao Parkinson

Além disso, outro problema de pele observado nos pacientes de Parkinson é a tendência maior (quando comparado a pessoas não portadoras da doença) de desenvolver melanoma. O Melanoma é um tipo de câncer que se desenvolve nos melanócitos, células responsáveis pela pigmentação da pele.

Problemas de Pele e Parkinson – Fatores de Risco

Cor do cabelo

Ter o cabelo de coloração naturalmente clara é um fator de risco para o melanoma e, curiosamente, o risco de DP é significativamente maior nas pessoas de cabelos claros, principalmente ruivos.

Penfigoide Bolhoso

Vários estudos relataram uma alta ocorrência do mal de Parkinson em pacientes com penfigoide bolhoso. O penfigoide bolhoso é uma doença autoimune, que ocorre quando o sistema imunológico ataca a pele e provoca bolhas.

Dicas do cotidiano e para a casa do Parkinsoniano
Esse livro trás importantes orientações sobre como é possível melhorar o ambiente do paciente Parkinsoniano para que ele tenha um dia-a-dia mais fácil e agradável.

Rosácea

O risco de Parkinson também foi observado em pacientes com rosácea. Além da associação entre a condição e vários distúrbios dermatológicos, a pele pode ser útil no diagnóstico da doença. Os sinais precoces do Parkinson são encontrados não apenas no cérebro, mas também em tecidos extra-neuronais.

Principais Problemas de Pele Relacionados ao Parkinson

O sistema neurológico está intimamente conectado com o sistema tegumentar (pele). Para manter todas as funções, a pele depende intimamente de um controle neurológico. Hoje se sabe que a proteína alterada da doença de Parkinson (alfa sinucleína) está presente no cérebro e no sistema nervoso central.

Mas ela também se encontra em outros lugares do corpo que possuem tecido neural – sistema nervoso – e a pele é um desses lugares. A ciência descobriu esse fator através de biópsia e teste de coloração adequada, que detecta a alfa sinucleína na pele.

Doença de Parkinson é muito mais que tremores
O Parkinson se não for tratado, pode até invalidar o usuário! Não arruine sua vida por causa de uma doença, venha na Regenerati!

A disfunção neurológica na pele leva a várias consequências. Por exemplo, os vasos possuem um controle neurológico de coloração, de quantidade de sangue na pele. A inervação afeta também as glândulas da pele e glândula sudoríparas, além de afetar própria sensibilidade da pele.

A pele é afetada pela presença da alfa sinucleína alterada na própria pele. A inervação que vai para os vasos, glândulas e pelos é afetada pela doença, além do controle autonômico central sofrer consequências também.

Como o controle dos vasos sanguíneos (cor, presença ou ausência de sangue e de elementos de defesa ou inflamatórios), glândulas (sudoríparas, sebáceas), fâneros (pelos e unhas) e nervos (a própria sensibilidade por si só) são afetados, a repercussão de cada fator gera outros elementos clínicos.

Saiba mais sobre este tema assistindo nosso vídeo, disponibilizado a seguir:

Fonte: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5352163/

Compartilhe:


Doença de Parkinson

A doença de Parkinson é uma condição neurológica crônica e progressiva, resultante da degeneração das células responsáveis pela produção de dopamina, um neurotransmissor que controla os movimentos, entre outras funções. Seus sintomas costumam afetar o movimento, e o diagnóstico é feito com base no histórico do paciente, avaliação dos sintomas e alguns exames. O tratamento deve ser individualizado, e comumente exige uma abordagem interdisciplinar.

Compartilhar:


Agende sua Consulta!



Tags:, , , , , , , , , , , , , , , ,


Todos os utilizadores da plataforma se comprometem a divulgar apenas informações verdadeiras. Caso o comentário não trate de uma experiência pessoal, forneça referências(links) sobre qualquer informação médica à ser publicada.
O público pode realizar comentários, alterar ou apagar o mesmo. Os comentários são visíveis a todos.


Neurologista- Doenças Neurológicas e Sistema Nervoso - Neurologia Hoje
Pergunte ao Doutor!

Tire suas dúvidas atráves do nosso fórum!



Willian Rezende do Carmo, 2021 | Desenvolvido e Monitorado por IT9 - ABCtudo. Todos os direitos reservados. | Data da última modificação: 05/04/2024