Responsive image

Como a Epilepsia Pode Afetar as Funções Cognitivas

Neurologista - Dr. Willian Rezende do Carmo

Categorias: Conteúdos, Epilepsia

Publicado: 2 de julho de 2024

Relação entre Cognição e Epilepsia. A epilepsia é uma das condições neurológicas mais prevalentes, afetando pessoas de todas as idades e caracterizada pela ocorrência de crises epilépticas, resultantes de descargas elétricas anormais no cérebro. Essas crises podem variar amplamente em severidade e frequência, e as causas são igualmente diversas.

A relação entre epilepsia e cognição é uma área de interesse significativo na neurologia, dado que uma grande proporção de indivíduos com epilepsia apresentam problemas cognitivos. Este artigo explora como a epilepsia pode afetar as funções cognitivas, com ênfase nos impactos sobre a memória, a aprendizagem, a atenção, a linguagem e as funções executivas.

O que é Cognição?

Cognição refere-se a um conjunto de funções cerebrais complexas que incluem processos mentais como atenção, memória, aprendizagem, percepção, linguagem, entre outros. Estas funções são essenciais para a realização das atividades diárias e para a adaptação ao ambiente. A cognição envolve a aquisição, processamento, armazenamento e recuperação de informações, sendo fundamental para a tomada de decisões e resolução de problemas.

Relação entre Cognição e Epilepsia

Estudos indicam que entre 70 a 80% das pessoas com epilepsia experimentam algum grau de comprometimento cognitivo. Estes podem incluir:

A origem desses problemas cognitivos é multifatorial e pode ser influenciada por:

  • Tipo de epilepsia ou síndrome epiléptica;
  • Frequência e gravidade das crises;
  • Alterações eletroencefalográficas específicas;
  • Causa da epilepsia;
  • Presença de lesão estrutural no cérebro;
  • Associação com condições psiquiátricas como depressão ou ansiedade;
  • Uso de medicações antiepilépticas;
  • Reserva funcional individual.

Impacto Cognitivo da Epilepsia

A avaliação detalhada do impacto cognitivo da epilepsia é realizada através de testes neuropsicológicos aplicados por profissionais capacitados. Estes testes fornecem informações cruciais sobre como a epilepsia, suas condições associadas e as medicações utilizadas no tratamento afetam a cognição.

Com base nestas avaliações, podem ser feitos ajustes terapêuticos e desenvolvidas estratégias de intervenção multiprofissional, incluindo psicopedagogia, fonoaudiologia, terapia ocupacional, psicologia e neuropsicologia. Tratamentos de comorbidades como depressão e ansiedade também podem resultar em melhorias significativas na cognição.

Impacto neurológico da Convulsões

  • Memória:

O hipocampo, localizado no lobo temporal, é uma estrutura crucial para a memória, responsável pela recepção e armazenamento de novas informações. Ele armazena informações a curto prazo e, se consideradas importantes, transfere-as para o armazenamento de longo prazo.

Convulsões que se originam no lobo temporal podem causar danos ao hipocampo, prejudicando a capacidade de armazenar e recuperar informações. A amígdala, outra estrutura importante para a memória, associa emoções às memórias. Convulsões nesta área podem desorganizar a forma como as informações são armazenadas, afetando a memória emocional e a formação de novas memórias.

  • Linguagem:

As funções de linguagem estão predominantemente localizadas no hemisfério esquerdo do cérebro. Convulsões que começam neste hemisfério podem afetar a capacidade de encontrar palavras e nomear objetos, um fenômeno conhecido como anomia. Apesar de convulsões frequentes, muitas pessoas com epilepsia ainda conseguem ler, falar e compreender palavras. No entanto, a dificuldade em encontrar palavras e a lentidão na recuperação de informações verbais são comuns.

  • Função Executiva:

As funções executivas incluem habilidades como planejamento, raciocínio e a capacidade de interromper comportamentos indesejados. Convulsões no lobo frontal, onde essas funções são predominantemente localizadas, podem enfraquecer a capacidade de organização e planejamento. Indivíduos podem ter dificuldades em realizar tarefas sequenciais, manter a atenção e regular o comportamento socialmente apropriado. Alterações na personalidade também podem ocorrer após anos de convulsões frequentes.

  • Epilepsia em Crianças:

Crianças com epilepsia tendem a enfrentar mais problemas de linguagem em comparação com adultos. Problemas comuns incluem vocabulário limitado, dificuldades na recuperação de palavras e anomia. A leitura e a ortografia também podem ser afetadas. A epilepsia pode causar danos cerebrais irreversíveis, especialmente em cérebros em desenvolvimento. O controle precoce e eficaz das crises e a normalização do EEG são fundamentais para prevenir déficits cognitivos em crianças com epilepsia.

Avaliação e Tratamento

A avaliação dos impactos cognitivos da epilepsia é realizada por meio de testes neuropsicológicos detalhados. Esses testes são conduzidos por profissionais capacitados e fornecem informações essenciais sobre como a epilepsia e suas condições associadas afetam a cognição. Os resultados dos testes ajudam a orientar ajustes medicamentosos e estratégias de intervenção não-medicamentosa, como psicopedagogia, fonoaudiologia, terapia ocupacional e psicologia.

O tratamento das queixas de depressão e ansiedade, comuns em pessoas com epilepsia, também é fundamental para a melhora da cognição. O controle precoce e eficaz das crises, muitas vezes por meio de medicação, e em alguns casos cirurgia, é crucial para minimizar os danos cognitivos.

A epilepsia é uma condição complexa que vai além das crises epilépticas. O impacto nas funções cognitivas pode ser significativo e variar amplamente entre os indivíduos. Fatores como o tipo de epilepsia, a frequência e gravidade das crises, e a presença de outras condições de saúde influenciam a extensão desses impactos.

Um manejo abrangente da epilepsia, incluindo avaliação neuropsicológica e tratamento das condições associadas, é essencial para melhorar a qualidade de vida das pessoas com epilepsia. Com um olhar completo e cuidadoso, é possível mitigar os déficits cognitivos e promover um funcionamento cognitivo mais saudável.

Mais informações sobre este assunto na Internet:
Compartilhe:


Epilepsia

É uma alteração temporária e reversível do funcionamento do cérebro, cuja causa não é relacionada a febre, drogas ou distúrbios metabólicos, e se expressa por crises epilépticas repetidas. A alteração pode ser proveniente de lesões cerebrais, neurocisticercose, abuso de bebidas alcoólicas e uso de drogas. Mas muitas vezes não é possível conhecer a causa exata que deu a origem ao problema.

Agende sua Consulta!



Tags:, ,


Todos os utilizadores da plataforma se comprometem a divulgar apenas informações verdadeiras. Caso o comentário não trate de uma experiência pessoal, forneça referências(links) sobre qualquer informação médica à ser publicada.
O público pode realizar comentários, alterar ou apagar o mesmo. Os comentários são visíveis a todos.



Willian Rezende do Carmo, 2024 | Desenvolvido e Monitorado por IT9 - ABCtudo. Todos os direitos reservados. | Data da última modificação: 07/07/2024