Neurologista - Dr. Willian Rezende

Embriaguez do sono pode afetar um em cada sete


Um estudo está lançando luz sobre um distúrbio do sono chamado embriaguez do sono. O transtorno é bem prevalente, afetando uma em cada sete pessoas. A pesquisa foi publicada na edição impressa do Neurology ®, jornal da Academia Americana de Neurologia.

A embriaguez do sono envolve confusão ou um comportamento inadequado, como atender o telefone em vez de desligar o alarme, durante ou após o despertar do sono, quer durante a primeira parte da noite ou da manhã.

Os episódios de embriaguez do sono, muitas vezes, são desencadeados por um despertar forçado, que podem até causar um comportamento violento durante o sono ou uma amnésia do episódio.

Estes episódios de acordar confusos têm recebido menos atenção do que o sonambulismo, embora as consequências possam ser tão graves. A pesquisa também descobriu que cerca de 31% das pessoas com embriaguez do sono tomam medicamentos psicotrópicos, como antidepressivos.

Longas e curtas horas de sono foram associadas com este distúrbio do sono. Cerca de 20% das pessoas que dormem menos de seis horas de sono por noite e 15% das pessoas que dormem pelo menos nove horas de sono experimentam embriaguez do sono. Pessoas com apneia do sono também foram mais propensas a desenvolver a desordem.

“Os episódios de despertar confuso não têm recebido muita atenção, mas dado que eles ocorrem em uma taxa elevada, na população em geral, mais pesquisas devem ser feitas sobre o momento em que esses distúrbios ocorrem e se eles podem ser tratados. As pessoas com distúrbios do sono ou problemas de saúde mental também devem estar cientes de que elas podem estar em maior risco de ter estes episódios”, destaca o neurologista, Willian Rezende do Carmo, CRM-SP 160.140.

Embriaguez do sono: saiba mais

O despertar confuso ou embriaguez do sono é quando uma pessoa se levanta e permanece em um estado confuso, durante um certo período, antes de regressar a dormir ou despertar completamente.

Estes episódios normalmente ocorrem, segundo o Instituto Nacional de Saúde dos Estados Unidos, quando alguém é despertado durante o sono de movimento ocular rápido (REM), que é um período de sono mais profundo. E normalmente são desencadeados por um despertar forçado, como o tocar do telefone.

Os autores do estudo com mais de 19 mil adultos, que preencheram uma ficha sobre os seus hábitos de sono, encontraram que 15,2% dos participantes experimentaram um episódio de despertar confuso no ano  anterior ao estudo.

O médico Maurice Ohayon, autor principal do estudo e especialista em sono na Universidade de Stanford, nos Estados Unidos, se surpreendeu com a porcentagem. Quando analisou os dados cuidadosamente, encontrou que mais da metade dos participantes tiveram despertar confuso uma vez ou mais por semana.

Mais de um terço dos participantes que experimentaram episódios uma vez por semana reportaram que a duração era de menos de cinco minutos, 32,3% das pessoas disseram que os episódios duram entre cinco e 15 minutos e 30% disseram que dura mais de 15 minutos.

“Quem passa por essa situação, deve buscar a ajuda médica. Segundo o estudo, o episódio pode causar comportamento violento durante o sono”, reforça o neurologista Willian Rezende.

Embriaguez do sono pode afetar um em cada sete
5 100% 6
Compartilhe:

Deixe um Comentário