Responsive image

Conheça os Distúrbios do Sono Na Esclerose Múltipla

Neurologista - Dr. Willian Rezende do Carmo

Categorias: Apneia do Sono, Conteúdos, Esclerose Múltipla, Insônia

Publicado: 12/01/21 | Atualizado: julho 22, 2021

Distúrbios do Sono Na Esclerose Múltipla. No que pode ser o maior estudo sobre distúrbios de sono entre os indivíduos com esclerose múltipla (EM), pesquisadores da UC Davis descobriram que distúrbios do sono são amplamente não diagnosticados e podem estar na raiz do sintoma mais comum e incapacitante da doença: a fadiga.

A fadiga é a marca registrada da esclerose múltipla, uma doença inflamatória que afeta o sistema nervoso e a medula espinal dos doentes.

Continue a leitura e compreenda como os Distúrbios do Sono em pacientes com Esclerose Múltipla podem ser altamente incapacitantes e como lidar com essa situação.

Teste de Esclerose Múltipla
Este teste ajuda a verificar sintomas que são comumente associados a Esclerose Múltipla

Distúrbios do Sono Na Esclerose Múltipla

Alguns dos distúrbios do sono mais comumente encontrados, consequentes e ainda tratáveis ​​em pacientes com EM, incluem:

  • Insônia crônica;
  • Distúrbios respiratórios do sono (DRS);
  • Síndrome das pernas inquietas (SPI).

Outros sintomas da esclerose múltipla incluem perda de visão, vertigem, fraqueza e dormência. Os pacientes também podem experimentar sintomas psiquiátricos. O início da doença é geralmente entre as idades de 20 e 50 anos.

A compreensão aprimorada das possíveis causas, consequências e apresentações de problemas comuns do sono pode oferecer novas oportunidades para otimizar a função e a qualidade de vida dos pacientes com EM.

A jornada de um paciente com Esclerose Múltipla
Este livro narra uma jornada comum de vários pacientes com Esclerose Múltipla. Deste o começo dos sintomas até o tratamento.

Consequências do Sono Deficiente

Junto com as medidas tradicionais de deficiência, existem sintomas invisíveis de EM que causam grande impacto na qualidade de vida, incluindo fadiga, dor, distúrbios do humor e disfunção cognitiva.

Um componente importante do manejo clínico para pacientes com EM inclui a identificação de comorbidades tratáveis ​​ou reversíveis, que podem contribuir e agravar esses sintomas.

Mais Informações sobre o Estudo

Publicado online no Journal of Clinical Sleep Medicine, o estudo foi realizado com mais de 2.300 pessoas, no norte da Califórnia, com esclerose múltipla, e constatou que, em geral, mais de 70% dos participantes selecionados apresentavam distúrbios do sono.

È possível ter qualidade de vida com Esclerose Múltipla
Na Clínica Regenerati você encontra uma equipe personalizada para ajudar você e sua família. Agende uma consulta hoje mesmo!

A pesquisa destaca a importância de diagnosticar as causas da fadiga entre os indivíduos com esclerose múltipla e como os distúrbios do sono podem afetar o curso da doença, bem como, a saúde geral e o bem-estar dos doentes.

A grande maioria dos distúrbios do sono são potencialmente não diagnosticados e tratados. O estudo sugere que pacientes com EM podem ter distúrbios do sono que exigem diagnóstico e tratamento independente.

Importância do Tratamento com um Neurologista Especialista em Sono

Dado o valor de um modelo de atendimento multidisciplinar em EM, os especialistas do sono têm o potencial de fornecer contribuições úteis para o tratamento dos pacientes.

Pacientes com insônia crônica que poderiam se beneficiar de estratégias comportamentais devem consultar especialistas do sono para determinar se eles podem ser candidatos à terapia cognitivo-comportamental e outros tratamentos naturais para insônia, que visa direcionar pensamentos e comportamentos desadaptativos que podem perpetuar a insônia.

Pacientes com distúrbios respiratórios do sono que estão tendo dificuldade em tolerar o CPAP ou aqueles que não respondem de forma ideal a esta terapia, também podem se beneficiar do encaminhamento a uma clínica do sono.

Finalmente, os pacientes com SPI que não respondem às terapias típicas de primeira ou de segunda linha, ou que experimentam aumento em resposta à terapia dopaminérgica, também podem se beneficiar dos cuidados especializados do sono.

“A causa da EM é desconhecida; embora se saiba que é uma condição autoimune, não se sabe quais são os gatilhos para iniciar a doença. Distúrbios do sono, padrões de sono e queixas de sonolência diurna excessiva sugerem que problemas de sono podem ser uma epidemia oculta na população com EM, separada da fadiga causada pela própria esclerose múltipla”, afirma o neurologista Willian Rezende do Carmo, CRM-SP 160.140.

Referência:

Artigo Publicado em: 17 de jul de 2016 e Atualizado em: 12 de jan de 2021

Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  


Apneia do Sono

A apneia do sono é uma condição caracterizada por pausas na respiração que duram alguns segundos, e que ocorrem diversas vezes durante o sono. Essa doença classifica-se como Apneia Obstrutiva do Sono ou Apneia Central do Sono. Suas causas e tratamentos podem variar, e o ronco é um importante sintoma. O diagnóstico é feito pela avaliação dos sintomas e do exame de Polissonografia.

Compartilhar:


Agende sua Consulta!



Tags:, , ,


Todos os utilizadores da plataforma se comprometem a divulgar apenas informações verdadeiras. Caso o comentário não trate de uma experiência pessoal, forneça referências(links) sobre qualquer informação médica à ser publicada.
O público pode realizar comentários, alterar ou apagar o mesmo. Os comentários são visíveis a todos.


Neurologista- Doenças Neurológicas e Sistema Nervoso - Neurologia Hoje
Pergunte ao Doutor!

Tire suas dúvidas atráves do nosso fórum!



Willian Rezende do Carmo, 2021 | Desenvolvido e Monitorado por IT9 - ABCtudo. Todos os direitos reservados. | Data da última modificação: 14/09/2021