Neurologista - Dr. Willian Rezende

Toxina botulínica para bruxismo


Uso da toxina botulínica no tratamento de bruxismo

O bruxismo é definido como uma atividade da articulação temporamandibular (ATM) que acontece durante o sono, caracterizada pelo ranger ou apertar dos dentes. É considerado um distúrbio do movimento relacionado ao sono muito comum, comprometendo em torno de 5% a 8% da população adulta.

Ainda não existe um tratamento que faça a pessoa parar de ranger os dentes, pois as suas causas não foram totalmente compreendidas. Até o momento, sabemos que é uma condição cerebral, possivelmente relacionada a disfunções na capacidade da dopamina de inibir movimentos musculares espontâneos, associada a questões psicológicas incluindo ansiedade, estresse, raiva, frustração ou tensão.

O diagnóstico, na maioria das vezes é clínico, quando encontramos sinais de desgaste dentário, hipertrofia dos músculos da mastigação, ou o paciente queixa-se de cefaleia, dor na articulação temporomandibular e nos músculos da mastigação. É comum que o paciente com bruxismo também apresente o alinhamento anormal dos dentes superiores e inferiores.

O bruxismo é uma condição que necessita de tratamento, pois pode provocar disfunções da articulação temporomandibular (DTM), apresentando sintomas como estalos durante os movimentos do maxilar, dor ou dificuldade para abrir a boca e dor de ouvido, além da dor na musculatura da face.

Como é realizado o tratamento do bruxismo

O tratamento adequado envolve uma gestão do bruxismo, para evitar que esta condição cause dor muscular, desgaste nos dentes e danos à articulação temporamandibular (ATM).

O uso da placa de mordida ajuda a amortecer o impacto, mas não é o único procedimento adotado. Psicoterapia, fisioterapia para a musculatura em torno da mandíbula e medicamentos anti-inflamatórios e relaxantes musculares também são utilizados.

A aplicação de toxina botulínica também vem apresentando resultados satisfatórios, diminuindo o impacto dos sintomas e facilitando a realização das terapias físicas.

Mecanismo de ação da toxina botulínica no bruxismo

A toxina botulínica no tratamento de bruxismo é indicada para aliviar a dor muscular que está relacionada ao movimento excessivo de ranger os dentes. A aplicação da substância na musculatura da face reduz sua capacidade de contração. Dessa forma, a articulação temporamandibular não é forçada, diminuindo sua movimentação e, consequentemente, o apertar dos dentes.

Através de um bloqueio neuromuscular, a toxina botulínica interrompe a comunicação entre o músculo e o nervo. Mesmo não impedindo a contração muscular, ela diminui a intensidade dessa contração, proporcionando uma melhora na rigidez da musculatura, e promovendo um alívio significativo da dor facial, com menor intensidade, frequência e duração dos episódios de dor.

Principais efeitos

O efeito da aplicação começa a partir de 48 horas, com efeito máximo observado em aproximadamente 2 semanas. O resultado da aplicação não é permanente, começando a diminuir, em média, de 3 a 4 meses após a aplicação. Após 6 meses, aproximadamente, a aplicação pode ser repetida.

Podem ocorrer efeitos adversos se a dosagem aplicada for muito alta. Quando o tratamento é realizado adequadamente, ocorrem apenas efeitos transitórios como hematomas, vermelhidão e leve inchaço, que desaparecem em poucas horas com aplicação de gelo. Também pode haver dores de cabeça, que devem desaparecer em no máximo 24 horas.

É importante considerar uma abordagem de tratamento multidisciplinar, associando a aplicação de toxina botulínica com fisioterapia, fonoaudiologia, psicologia e neurologia, para uma reeducação neuromuscular e também para a diminuição do estresse, já que, apesar de sua etiologia ser complexa e multifatorial, diversos autores relacionam o bruxismo a disfunções no Sistema Nervoso Central.

Toxina botulínica para bruxismo
5 100% 5
Compartilhe:

Deixe um Comentário