Neurologista - Dr. Willian Rezende

Quais as Piores Dores que Existem?


A tentativa de listar as piores dores que o ser humano pode experienciar é algo comum. No entanto, às vezes essa tentativa pode não fazer sentido, já que as dores são muito relativas para cada ser humano. Para saber mais sobre as piores dores que existem, continue lendo o artigo.

As Piores Dores que Existem – Neurologista Responde

Muito se fala sobre as piores dores humanas, pois o ser humano é curioso por natureza, e não seria diferente neste caso. Mas este tipo de lista corre o risco de parecer algo ridículo ou apelativo, como por exemplo, ao citar a dor de bater o dedinho na quina.

Do ponto de vista neurológico, a pior dor do mundo é aquela que faz com que a pessoa queira tirar a própria vida. Em um estudo com 10.000 tentativas de suicídio, 48% dos casos tinham causas relacionadas à impulsividade que afetava problemas financeiros, relacionamentos, etc., 33% relacionavam-se a doenças mentais e 19% a condições físicas.

Dentro da porcentagem de condições físicas, 33% eram distribuídos em câncer, 30% dor, 20% doenças cardiovasculares (infarto ou AVC), e o restante entre outros distúrbios. Essa lista foi o que resultou do estudo sobre pessoas que consumaram o suicídio ou tentaram cometer suicídio.

Porque Essas Dores Causam Vontade de Tirar a Própria Vida?

O entendimento do quanto uma pessoa sofre com a dor normalmente está relacionado com a intensidade da dor e o tempo em que ela fica exposta a essa dor. É exatamente por isso que algumas listas que analisam os piores tipos de dor podem soar ridículas ou apelativas, visto que usualmente só levam em conta a intensidade da dor, em vez de levar em conta também o tempo de duração da mesma.

Exemplo de Dores Muito Intensas e Rápidas X Dor Moderada a Forte e Contínua

Lista das dores que estão menos relacionadas ao suicídio, até as que estão mais relacionadas:

  • Dor lombar

Dor considerada extremamente intensa e considerada comum, que se não tratada corretamente pode durar por um tempo considerável. Em idosos eleva os riscos de suicídio em 33%. 

  • Artrite

Artrite crônica, dolorosa e generalizada eleva o risco de suicídio aproximadamente 44% em mulheres. Esse tipo de dor atrapalha inúmeras atividades cotidianas, causando frustração.

  • Fibromialgia

No estudo, essa condição não alterou a taxa de mortalidade mas aumentou o número de tentativas, ou seja, as pessoas estudadas não chegaram a consumar o suicídio de fato. Isso ocorreu pois essas pessoas geralmente tentavam o suicídio pelos mesmos medicamentos que utilizavam para tratar a condição, sendo mais fácil de recorrer antes que o suicídio ocorresse.

Para aqueles que não sabiam o diagnóstico, o número de tentativas de suicídio chegava a aumentar até 3x mais do que quem não tinha fibromialgia ou dor crônica.

  • Câncer

Nesses casos, normalmente o número de tentativas é muito próximo do número de consumação do ato, e chega a ser até 2x maior do que a taxa de suicídio da população geral.

  • Dor crônica de cabeça com episódios agudos

As tentativas aconteceram 2,3x mais, especialmente nos casos de dores extremamente agudas e intensas, como cefaleia em salvas por exemplo. As tentativas são especialmente altas nos casos de dores intensas em idade geriátrica.

Fonte: https://www.oatext.com/the-risk-of-suicide-in-chronic-pain-patients.php

Compartilhe

Ligue agora e agende sua consulta:

(11) 3522-9515




Todos os utilizadores da plataforma se comprometem a divulgar apenas informações verdadeiras. Caso o comentário não trate de uma experiência pessoal, forneça referências(links) sobre qualquer informação médica à ser publicada.
O público pode realizar comentários, alterar ou apagar o mesmo. Os comentários são visíveis a todos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *