Responsive image

Densidade Óssea e Doença de Parkinson

Neurologista - Dr. Willian Rezende do Carmo

Categorias: Conteúdos, Doença de Parkinson

Publicado: 7 de junho de 2022 | Atualizado: 7 de junho de 2022

Densidade Óssea e Doença de Parkinson. As quedas podem ser uma grande dificuldade para as pessoas com doença de Parkinson (DP), levando a fraturas e outras lesões. Pessoas com DP têm risco aumentado de fratura em comparação com a população em geral.

Para alguns pacientes, uma fratura e sua imobilidade resultante, bem como os efeitos de uma potencial cirurgia e hospitalização, levarão ao declínio permanente de sua condição. Portanto, medidas para prevenir quedas são um objetivo fundamental do manejo da DP.

Mas nem todas as quedas podem ser evitadas, portanto, uma parte, muitas vezes, esquecida do gerenciamento de alguém que tende a cair é avaliar a densidade óssea e tratar quando seus níveis estiverem baixos. Uma queda com fratura óssea em alguém com baixa densidade óssea pode ser um problema muito mais grave do que em alguém com densidade óssea normal.

Check list de sintomas de doença de Parkinson
Um questionário com lista de sintomas que podem estar associados ao Parkinson

Continue a leitura deste artigo para saber mais sobre a importância de uma boa saúde óssea em pessoas com Parkinson.

O que Significa Densidade Óssea

A densidade óssea é avaliada usando um teste simples chamado densitometria óssea. A tecnologia de raios-X é usada para medir a densidade dos ossos do quadril e da coluna. Dependendo do nível de mineralização dos ossos, o teste pode diagnosticar a osteoporose, que significa, literalmente, “ossos porosos”.

Densidade Óssea e Doença de Parkinson

É importante que as pessoas com DP tenham sua densidade mineral óssea avaliada, principalmente porque estão em maior risco de quedas. Além disso, a baixa densidade óssea pode ser uma consequência direta dos sintomas da DP. Uma pessoa com DP pode:

Dicas do cotidiano e para a casa do Parkinsoniano
Esse livro trás importantes orientações sobre como é possível melhorar o ambiente do paciente Parkinsoniano para que ele tenha um dia-a-dia mais fácil e agradável.
  • Realizar menos atividade de sustentação de peso do que a população em geral, o que normalmente resulta em ossos mais fracos;
  • Passar menos tempo ao ar livre (ao sol) e experimentar níveis mais relevantes de desnutrição, que podem levar a níveis mais baixos de vitamina D e ossos mais fracos;
  • Experimentar perda de peso, que está associada aos ossos mais fracos.

Tratamentos para Baixa Densidade Óssea

A baixa densidade óssea pode ser tratada com sucesso, inclusive em pessoas com DP. Veja, a seguir, algumas recomendações:

Exercício

Atividades de sustentação de peso e exercícios são vitais para manter a força óssea. Isso adiciona mais uma razão pela qual o exercício é tão importante no gerenciamento de DP.

Considere participar de uma aula de exercícios ou pedir a ajuda de um fisioterapeuta ou personal trainer – mas procure por profissionais especializados em pessoas com DP para garantir que proporcionem orientações de forma segura e apropriada.

Doença de Parkinson é muito mais que tremores
O Parkinson se não for tratado, pode até invalidar o usuário! Não arruine sua vida por causa de uma doença, venha na Regenerati!

Medicamentos

Existem muitos medicamentos disponíveis para a osteoporose para melhorar a mineralização óssea e diminuir o risco de fratura. É importante que a densidade óssea seja testada para que o tratamento possa ser iniciado, se necessário.

Com base nos resultados do seu teste, seu médico pode conversar com você sobre opções de medicamentos para aumentar sua mineralização óssea.

Vitamina D

A vitamina D é um nutriente crítico derivado de duas fontes – sua dieta e exposição à luz solar. Não há muitos alimentos que contenham vitamina D, então cerca de 70% – 80% de nossa vitamina D precisa ser obtida da luz solar (os raios ultravioletas da luz solar convertem um precursor de esteróide na pele em vitamina D).

Entre as funções da vitamina D estão ajudar na absorção de cálcio dos alimentos e favorecer a mineralização dos ossos.

Como as pessoas com Parkinson costumam passar muito tempo dentro de casa, a deficiência de vitamina D é um problema muito comum.

Os níveis de vitamina D podem ser testados no sangue. Se for baixo, existem suplementos que você pode utilizar. Converse com seu médico sobre seu nível de vitamina D e sua necessidade de suplementação.

Mais Informações sobre este assunto na Internet:
Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  


Doença de Parkinson

A doença de Parkinson é uma condição neurológica crônica e progressiva, resultante da degeneração das células responsáveis pela produção de dopamina, um neurotransmissor que controla os movimentos, entre outras funções. Seus sintomas costumam afetar o movimento, e o diagnóstico é feito com base no histórico do paciente, avaliação dos sintomas e alguns exames. O tratamento deve ser individualizado, e comumente exige uma abordagem interdisciplinar.

Compartilhar:


Agende sua Consulta!



Tags:, , , , ,


Todos os utilizadores da plataforma se comprometem a divulgar apenas informações verdadeiras. Caso o comentário não trate de uma experiência pessoal, forneça referências(links) sobre qualquer informação médica à ser publicada.
O público pode realizar comentários, alterar ou apagar o mesmo. Os comentários são visíveis a todos.


Neurologista- Doenças Neurológicas e Sistema Nervoso - Neurologia Hoje
Pergunte ao Doutor!

Tire suas dúvidas atráves do nosso fórum!



Willian Rezende do Carmo, 2021 | Desenvolvido e Monitorado por IT9 - ABCtudo. Todos os direitos reservados. | Data da última modificação: 23/06/2022