Responsive image

A Lentidão na Velhice é Normal?

Neurologista - Dr. Willian Rezende do Carmo

Categorias: Conteúdos, Doença de Parkinson, Memória / Alzheimer, Neurologia Geral

Publicado: 18 de dezembro de 2018 | Atualizado: 4 de agosto de 2021

A maior parte da população idosa fica um pouco mais lenta com o passar dos anos, essa lentidão é esperada e aceita socialmente. Entretanto, existem níveis de lentidão na velhice adequados e comuns, e existem níveis alarmantes e perigosos.

Uma pessoa apresentar a lentidão na velhice muito acentuada e significativa não deve ser considerado normal. Deve-se prestar atenção no comportamento dos idosos, e quebrar os padrões de pensamento do senso-comum de que as pessoas mais velhas não conseguem performar alguma atividade que exija mais rapidez ou um esforço físico maior.

A Lentidão na Velhice é Normal? – O Estudo

Foi realizado um estudo que analisou a rapidez de performances de atividades físicas em cada fase da vida, para que se pudesse diagnosticar a normalidade ou a falta dela na lentidão na velhice. Esse estudo levou como base a população em histórico natural, no processo de evolução da velocidade dos passos, da velocidade da marcha.

Teste de auto-percepção de memória
Tire suas dúvidas em relação a sua memória e faça o teste PDQ-5 de auto percepção de memória.

E a partir desse estudo foi concluído o que é uma caminhada normal, e qual a diferença da caminhada após a pessoa ter alcançado seu estado de cansaço e fadiga da caminhada acelerada.

A análise resultou em um gráfico (mostrado no vídeo), que demonstra que a caminhada em velocidade normal (não acelerada, e aproximadamente 5 km/h), não fica mais lenta com a idade, a linha é quase absolutamente reta.

Entretanto, a caminhada que continua após a pessoa ter atingido seu nível de exaustão e fadiga diminui consideravelmente a velocidade com a chegada da terceira idade. Isso indica que a caminhada que mais muda com o passar dos anos é a “marcha acelerada”.

Eu, minha memória e meus medos...
Conheça a história de uma mãe e filha que enfrentam diversos problemas relacionados a memória. Baixe o e-book e aprenda com elas o que deve ser feito para lidar com o Alzheimer.

A Lentidão na Velhice – Como Analisar

Para saber se a lentidão apresentada por parentes ou conhecidos mais velhos é normal, basta compará-los a outras pessoas mais velhas que você conhece, e reparar na equivalência. Se a diferença for muito significativa, é a hora de buscar atendimento médico, pois essa lentidão acentuada pode estar ligada a outras doenças, como Parkinson por exemplo.

As Causas da Lentidão Acentuada

  • Doença de Parkinson; A doença de Parkinson, ao contrário do que a maioria das pessoas pensa, não é caracterizada pelos sintomas, e sim pela lentidão dos movimentos.
  • Artrose;
  • Polineuropatias;
  • Sedentarismo;
  • Lesão de nervos: causada pela diabete;
  • Queda de vitaminas;
  • Alzheimer: O Alzheimer também causa lentidão nos pacientes, mas de maneira diferente da doença de Parkinson. Esta condição afeta menos os movimentos e mais a maneira de pensar do paciente.
  • Depressão: O paciente com depressão também fica mais lento, por conta do desânimo que experimenta antes de alcançar o sucesso no tratamento.
  • Até mesmo doenças cardíacas ou respiratórias.

Todos esses fatores podem ser tratados e melhorados. Entretanto, cada caso é diferente, pois o diagnóstico do paciente pode variar de acordo com a causa da lentidão. Por exemplo, se a causa da lentidão for a Doença de Parkinson, o tratamento será muito diferente se comparado com o tratamento de uma lentidão relacionada à queda de vitaminas. Se você possui suspeitas que a sua lentidão ou a de um conhecido está acentuada de maneira anormal, procure atendimento médico.

Se quiser receber informações sobre Parkinson no seu chat do Facebook, clique aqui.

Anda muito esquecido ultimamente?
Não ignore os problemas de memória, eles podem ser mais sérios do que parecem. Agende uma consulta na Clínica Regenerati e evite um possível Alzheimer.

Se quiser receber um E-book Gratuito sobre o Parkinson, clique aqui.

Fonte: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC2956533/

Compartilhe:


Doença de Parkinson

A doença de Parkinson é uma condição neurológica crônica e progressiva, resultante da degeneração das células responsáveis pela produção de dopamina, um neurotransmissor que controla os movimentos, entre outras funções. Seus sintomas costumam afetar o movimento, e o diagnóstico é feito com base no histórico do paciente, avaliação dos sintomas e alguns exames. O tratamento deve ser individualizado, e comumente exige uma abordagem interdisciplinar.

Compartilhar:


Agende sua Consulta!



Tags:, , , , , , , , , , , , , , , , , ,


Todos os utilizadores da plataforma se comprometem a divulgar apenas informações verdadeiras. Caso o comentário não trate de uma experiência pessoal, forneça referências(links) sobre qualquer informação médica à ser publicada.
O público pode realizar comentários, alterar ou apagar o mesmo. Os comentários são visíveis a todos.


Neurologista- Doenças Neurológicas e Sistema Nervoso - Neurologia Hoje
Pergunte ao Doutor!

Tire suas dúvidas atráves do nosso fórum!



Willian Rezende do Carmo, 2021 | Desenvolvido e Monitorado por IT9 - ABCtudo. Todos os direitos reservados. | Data da última modificação: 23/02/2024