Neurologista - Dr. Willian Rezende

Exames para Diagnóstico da Apneia do Sono


O Diagnóstico da Apneia do Sono é importante pois se não tratada apropriadamente, pode aumentar o risco de doenças cardíacas, glaucoma, diabetes, AVE, câncer, distúrbios cognitivos e comportamentais, entre outros1.

O incorreto diagnóstico da apneia do sono pode levar a danos significativos devido a perda de benefícios oferecidos pelo tratamento em pacientes com apneia obstrutiva do sono (AOS) e à prescrição inapropriada naqueles que não apresentam apneia1,2.

A AOS é uma doença caracterizada por ronco, respiração dificultada e pausas respiratórias repetitivas durante o sono. Estas pausas respiratórias podem ocorrer por uma obstrução completa ou bloqueio da via aérea e levam a diminuições nos níveis de oxigênio no sangue1.

Diagnóstico da apneia do sono

Existem alguns exames para um melhor diagnóstico da apneia do sono, entre eles a polissonografia se destaca como sendo a mais consistente.

Diagnóstico da Apneia do Sono – Polissonografia

A polissonografia (PSG) é a gravação simultânea de múltiplos sinais fisiológicos durante o sono. Os sinais incluídos são2:

  • Ondas cerebrais (eletroencefalograma ou EEG);
  • Movimentos oculares (eletrooculograma ou EOG);
  • Atividade muscular do queixo (eletromiograma do queixo ou EMG);
  • Fluxo de ar do nariz e da boca;
  • Movimento do tórax e abdominal;
  • Níveis de oxigênio no sangue (oximetria);
  • Frequência cardíaca e ritmo (eletrocardiograma ou ECG);
  • Movimentos das pernas (eletromiograma das pernas, ou EMG).

Os sinais de EEG, EOG e EMG do queixo são necessários para determinar se uma pessoa está acordada ou adormecida e também para determinar se o padrão de sono é normal2,3.

Com isso é possível ter todos os parâmetros necessários para o correto diagnóstico dos distúrbios do sono do paciente.

O exame é realizado mesmo sendo cheio de fios e fora de casa e é preciso manter os medicamentos de uso habitual no dia-a-dia.

A polissonografia é geralmente realizada em um laboratório de sono com monitoramento por um técnico de sono, no qual o paciente irá passar a noite para que o sono seja avaliado em detalhes. Vários eletrodos serão conectados ao paciente para avaliar os sinais fisiológicos com gravação de ronco e vídeo de movimentos2,3.

Os sensores são fixados de maneira a permitir ao paciente movimentar-se durante o exame, não atrapalhando assim o sono. Em casos selecionados o exame pode ser realizado no próprio domicílio do paciente, utilizando aparelhos portáteis2,3.

Em pessoas com apneia obstrutiva do sono (AOS), as gravações de polissonografia demonstram episódios repetitivos de pausas de respiração apesar dos esforços para respirar. É considerado o “padrão-ouro” para o diagnóstico. Além do diagnóstico de AOS, o PSG pode identificar distúrbios do sono coexistentes, incluindo outras formas de respiração desordenada pelo sono1,2.

A polissonografia tem suas vantagens e desvantagens2.

Vantagens:

  • O técnico está continuamente presente para ajustar os sinais para uma gravação ideal;
  • O sono é gravado;
  • Outras condições de sono podem ser observadas.

Desvantagens:

  • A gravação é realizada em um ambiente desconhecido;
  • Mais caro que o monitoramento limitado de canais.

Diagnóstico da Apneia do Sono – Monitoramento limitado de canais

Neste teste, os monitores registram um número menor de sinais fisiológicos do que durante a polissonografia. Geralmente, os sinais estão focados na respiração e nos níveis de oxigênio no sangue4.

Somente com estes monitores, o sono não pode ser determinado com precisão, mas pode ser estimado por gravações do movimento do corpo (actigrafia)4.

Este teste geralmente é realizado em casa na ausência de um técnico de sono, mas às vezes é usado em uma configuração de laboratório de sono.

Cada vez mais, as pessoas que têm uma alta probabilidade de AOS e poucas outras condições médicas são testadas através de monitoramento limitado de canais. Este método também é usado para testes de acompanhamento de pessoas com OSA, para determinar se seus tratamentos são eficazes3,4.

Um tipo de monitoramento limitado de canais é o apnealink, que tem somente um canal para a apneia obstrutiva do sono. Mensura o fluxo de ar através de uma cânula nasal conectada a um transdutor de pressão, fornecendo um índice de apneia-hipopneia (AHI) com base no tempo de gravação4.

Como principal vantagem desse método tem se o monitoramento dos sinais do sono em um ambiente mais normal para a pessoa e o custo é baixo. Porém, o técnico do sono não estará presente na maior parte dos casos, para assegurar a qualidade dos dados, tem um maior índice de falha, fazendo com que seja necessário a repetição do exame e o sono não é gravado3.

Às vezes, outros testes são feitos além da polissonografia ou monitoramento de canais limitados. No entanto, por si só, os seguintes testes são inadequados para confirmar um diagnóstico.

Diagnóstico da Apneia do Sono – Oximetria

Este é um método de registro de níveis de oxigênio no sangue sozinho. Não substitui nem a polissonografia nem o monitoramento de canais limitados porque baixos níveis de oxigênio no sangue podem ser causados ​​por distúrbios diferentes da OSA. Além disso, algumas pessoas com OSA têm pouca redução nos níveis de oxigênio no sangue3.

Diagnóstico da Apneia do Sono – Questionários e diários do sono

Fornecem informações úteis para entender os hábitos e padrões de sono de uma pessoa. No entanto, por si só são insuficientes para confirmar ou excluir o diagnóstico de SAOS3.

Diagnóstico da Apneia do Sono – Testes de sangue

Não há teste de sangue para AOS. Alguns testes, como testes de nível de hormônio da tireoide, podem permitir que um profissional de saúde determine se uma condição médica associada está presente2.

Veja o vídeo abaixo e saiba mais:

Referências – Diagnóstico da Apneia do Sono:

1 – Sleep Apnea. U.S Department of Health & Human Services. https://www.nhlbi.nih.gov/health-topics/sleep-apnea

2 – Clinical Practice Guideline for Diagnostic Testing for Adult Obstructive Sleep Apnea: An American Academy of Sleep Medicine Clinical Practice Guideline. V. K. Kapur, MD, MPH; D. H. Auckley, MD; S. Chowdhuri, MD; D. C. Kuhlmann, MD; R. Mehra, MD, MS; K. Ramar, MBBS, MD; C. G. Harrod, MS. J Clin Sleep Med. 2017 March 15; 13(3): 479–504. doi: http://europepmc.org/articles/pmc5337595

3 – The utility of home sleep apnea tests in patients with low versus high pre-test probability for moderate to severe OSA. C. A. Goldstein; H. Karnib; K. Williams; Z. Virk; A. Shamim-Uzzaman. Sleep Breathing Physiology and Disorders • Original Article First Online: 22 November 2017. https://link.springer.com/article/10.1007/s11325-017-1594-2

4 – Validation of the ApneaLink™ for the Screening of Sleep Apnea: a Novel and Simple Single-Channel Recording Device. J Clin Sleep Med. 2007 Jun 15; 3(4): 387–392. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC1978315/

Exames para Diagnóstico da Apneia do Sono
5 100% 38
Compartilhe:

Deixe um Comentário