Neurologista - Dr. Willian Rezende

Efeitos da privação do sono durante a adolescência


A privação do sono pode cobrar um pedágio devastador sobre o corpo e a mente em qualquer fase da vida, desde a infância até à velhice. Mas para os adolescentes, que estão em um estágio crítico de desenvolvimento, a privação de sono pode ser particularmente perigosa.

“Embora o sono, sem dúvida, seja crítico durante a adolescência, os adolescentes são o grupo etário que menos descansam e dormem o necessário. Mais de 90% dos estudantes americanos são cronicamente privados de sono, de acordo com uma pesquisa de 2014”, afirma o neurologista Willian Rezende do Carmo, CRM-SP 160.140.

Enquanto os Institutos Nacionais de Saúde estimam que os adolescentes precisam de pelo menos nove horas de sono por noite, apenas 9% dos estudantes do ensino médio atualmente seguem  essas recomendações. Ainda mais alarmante é o fato de que 20% estão dormindo menos de cinco horas por noite.

“Uma série de fatores biológicos e de estilo de vida convergem para causar estragos no horário de sono dos adolescentes. Horários tardios para ir para a cama, o crescente uso da tecnologia, os altos níveis de estresse – além dos horários de início escolares precoces – são uma receita para a privação de sono crônica e de riscos para a saúde que vêm junto com ela”, diz o médico.

Os adolescentes são biologicamente predispostos a ficar acordados até mais tarde à noite e a dormir mais pela manhã. Essa mudança no ciclo vigília-sono dos adolescentes, que é uma parte normal do desenvolvimento, pode tornar difícil que um adolescente durmas às 9 ou 10 da noite.

Ao longo do tempo, a privação de sono do adolescente pode levar a uma série de riscos para a saúde. Listamos alguns dos riscos físicos e mentais de saúde associados com a privação de sono durante a adolescência que pais e adolescentes devem estar cientes:

  1. Problemas de saúde mental

Um estudo de quase 28.000 estudantes do ensino médio, publicado no início deste ano no the Journal of Youth and Adolescence, descobriu que cada hora de sono perdida está associada a um risco 38% maior de se sentir triste ou desesperado e um aumento de 58% das tentativas de suicídio. Adolescentes que dormem uma média de seis horas por noite também são três vezes mais propensos a sofrer de depressão, segundo um estudo de 2010.

“A privação do sono e a depressão andam de mãos dadas entre os adolescentes. Em vez de dar-lhes apenas medicamentos, prefiro dar-lhes a chance de dormir melhor e muito mais. A intervenção dos pais pode fazer a diferença. Uma pesquisa mostrou que jovens cujos pais definem os horários de ir para a cama são significativamente menos propensos a sofrer de depressão ou a ter pensamentos suicidas”, conta o médico.

  1. Problemas de aprendizagem e de comportamento

Cerca de um em cada quatro adolescentes vai para a cama depois de 23:30, durante a semana, entre aqueles que apresentam um desempenho pior na escola e experimentam um maior sofrimento emocional. Adolescentes que não dormem o suficiente são também mais propensos a serem desatentos, impulsivos, hiperativos e desobedientes.

“Não é surpresa que adolescentes que não durmam o suficiente não apresentem o melhor comportamento acadêmico e social. Nós sabemos que a privação do sono faz com que os adolescentes tenham um pior desempenho cognitivo e emocional. Por quê? Porque o sono suporta os processos cerebrais que são fundamentais para o aprendizado, a memória e o controle das emoções. À noite, o cérebro  consolida as informações adquiridas durante o dia, tornando a informação mais fácil de ser recuperada mais tarde”, explica o neurologista.

  1. O uso e abuso de substâncias

A relação entre a privação de sono e o abuso de drogas na adolescência é uma via de mão dupla, a privação de sono aumenta o risco de uso de drogas e a dependência e o uso de drogas provoca problemas de sono.

“Um estudo descobriu que para cada 10 minutos de atraso no horário em que um adolescente vai para a cama, há um aumento de 6% nas chances de que ele tenha usado álcool ou maconha, no mês anterior, enquanto outra pesquisa mostrou que os distúrbios do sono previram questões relacionadas com o abuso de bebidas e drogas”, informa o médico.

  1. Maior risco de obesidade

A privação de sono também pode ter um efeito negativo, a longo prazo, sobre a saúde física de uma pessoa jovem. A má qualidade do sono é associada ao diabetes e ao risco de obesidade para os adolescentes.

“Estudantes do ensino médio que são privados de sono podem estar em maior risco de diabetes e obesidade na idade adulta, e entre os adolescentes que já são obesos, não dormir o suficiente pode aumentar o risco de desenvolver diabetes mais tarde. Entre os adolescentes que já sofrem de diabetes, a privação de sono pode agravar seus problemas de saúde. A pesquisa mostrou que os adolescentes com diabetes tipo 1 podem ter mais problemas para dormir, e que a insônia, por sua vez, faz com que as dificuldades para regular o açúcar no sangue sejam maiores”, destaca Willian Rezende.

Efeitos da privação do sono durante a adolescência
5 100% 22
Compartilhe:

Deixe um Comentário