Neurologista - Dr. Willian Rezende

Interditar Juridicamente a Pessoa com Alzheimer

Com a evolução da Doença de Alzheimer, ocorre uma redução da capacidade de discernimento no paciente, que passa a não avaliar com precisão as consequências de seus atos.

Nessas circunstâncias, e a partir de rigorosa avaliação, a pessoa com a doença de Alzheimer pode ser considerada civilmente incapaz, para ser preservada de determinados riscos, como pessoas mal intencionadas, que podem aproveitarm-se da deficiência de discernimento do paciente para efetuar manobras desleais.

A interdição declara a incapacidade do paciente, que não mais poderá praticar ou exercer pessoalmente determinados atos da vida civil, necessitando, para tanto, ser representado por outra pessoa, que em geral é da família. Veja neste vídeo quando realizar este procedimento.

Avalie essa notícia
Compartilhe:

Deixe um Comentário